O atacante italiano Christian Vieri pediu à Procuradoria da federação de futebol da Itália (FIGC) a revogação do título do Campeonato Italiano que a Internazionale de Milão conquistou na temporada 2005-2006.

Vieri, que jogou pela Inter entre 1999 e 2005, exige esta medida como parte da causa aberta pelos grampos ilegais que dirigentes do clube ordenaram para vigiar seus movimentos quando estava na equipe, informa hoje a imprensa italiana.

O atacante de 36 anos exige também, como parte de sua alegação em uma investigação judicial que se desenvolve em Milão, que sejam retirados de seus cargos no Inter o presidente e acionista majoritário do clube, Massimo Moratti, e seu vice-presidente, Rinaldo Ghelfi.

Os fatos, pelos quais Vieri pede nove milhões de euro ao Inter e 12 milhões de euros à operadora Telecom Italia, ocorreram em 2000 e foram divulgados anos depois quand foi descoberta uma gigantesca rede de grampos ilegais que atingiu o próprio jogador, então figura frequente na vida noturna de Milão.

Segundo o jornal “La Gazzetta dello Sport”, o jogador exige a retirada do título da Inter por uma suposta violação do artigo 18 do Código de Justiça esportiva italiana, que prevê, em caso de violação do estatuto, das normas federativas ou de qualquer outra disposição aplicável por parte de um clube, a “não atribuição ou a revogação do título de campeão da Itália”.

A solicitação sobre Moratti e Ghelfi se baseia no artigo 19 do mesmo código, no qual se estende a responsabilidade dessas violações das normas aos responsáveis do clube infrator

Fechar X
Sem mais artigos