O presidente do México, Felipe Calderón, advertiu na terça-feira (30) durante a inauguração do XII Fórum Internacional de Energia (FIE) que a geração e o consumo irracional de energéticos deixará um terço da população mundial sem combustíveis modernos (como a gasolina) em 2020.

“Atualmente calcula-se que bilhões de pessoas precisam de combustíveis modernos e esse número poderia subir a mais de um terço da população mundial em 2020”, assegurou o governante mexicano.

No encontro internacional que começou na terça e vai até esta quarta (31) na turística Cancún, no caribe mexicano, Calderón pediu aos países produtores e consumidores para modificarem os padrões da geração e o consumo de energia.

“O momento de atuar é agora se quisermos diminuir os efeitos da mudança climática. Devemos entender que o compromisso com o meio ambiente e com a sustentabilidade não deve se opor ao desenvolvimento”, assinalou o presidente mexicano.

Calderón lembrou que o aquecimento global causou um aumento na quantidade de furacões nas costas mexicanas, as maiores inundações e as piores secas registradas nos últimos 70 anos.

“Por isso, o México está comprometido em ser parte da solução do problema do aquecimento global. O Governo do México propôs que, para 2012, ao menos 26% da energia gerada do país provirá de fontes renováveis”, assegurou o governante mexicano.

Por sua parte, o secretário-geral do FIE, o holandês Noé Van Hulst, pediu aos presentes o “compromisso” de gerar confiança e poder atender os temas centrais que fazem parte da agenda de trabalho na reunião de Cancún.

Hulst acrescentou que o FIE é a organização mais abrangente e aberta no segmento, e tem um enorme potencial, por isso é o momento de aproveitar este potencial.

O holandês insistiu que “é fundamental que os Governos, as empresas, todos os atores envolvidos possamos ter um marco aberto sobre segurança energética mundial”.

Fechar X
Sem mais artigos