Marie McCreadie ficou muda repentinamente aos 13 anos de idade. O que os médicos acreditaram ser uma consequência temporária de uma bronquite e laringite, não passou após a doença ser curada. Foi apenas aos 25 anos que finalmente descobriu a causa de anos de silêncio: uma moeda.

“Os médicos estavam perplexos, não sabiam como explicar minha doença e só pediam para eu fazer gargarejos com água e sal”, relembrou McCreadie, atualmente com 48 anos, ao site Metro UK. “Fizeram exames de sangue, raio-X, mas nada foi descoberto. Eventualmente, desistiram e falaram para eu prosseguir minha vida daquele jeito”.

A moeda ficou presa em seu corpo por 12 anos. O mistério foi resolvido em 1984, quando a australiana foi levada ao hospital após começar a tossir e expelir sangue. Os médicos enfim encontraram e removeram uma pequena moeda.

“Fiquei nervosa, pois não sabia o que estava acontecendo. Comecei a fazer pequenos barulhos, gemer e chorar. Não demorou muito para eu começar a falar”, explica McCreadie. Para ela, o maior desafio foi reaprender a respirar a fim de emitir sons. “Descansei por uma semana e comecei um tratamento com o fonoaudiólogo.

Durante os anos que passou sem resposta, ela ouviu diversas teorias, inclusive, que era uma “punição de Deus”. McCreadie relatou ter sido uma experiência solitária e chegou a tentar se matar na adolescência. “Minha jornada tem sido longa e cheia de surpresas. Passei por uma depressão extrema nos primeiros anos, me reergui e achei o meu lugar no mundo”.

A história se transformou no livro, ‘Voiceless’. Após a experiência, que para muitos seria traumática, ela tenta se manter otimista. “Para cada incidente ruim, há vários momentos bons. Hoje tenho duas filhas e três netos. Em algum lugar do caminho eu acertei”, afirmou.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos