Fechar X

Há 10 anos Farshad Hashemzaden sofre com um grande incomodo: desenvolveu uma mama, como a de uma mulher, do lado direito do peito. Depois de ter vários pedidos de cirurgia negados pelo sistema público de saúde britânico, ele resolveu fazer a operação por conta própria e com as próprias mãos. Obviamente, não deu certo…

“Quando completei 18 anos comecei a sofrer com esse problema. No verão eu colocava três coletes para tentar esconder o peito. Tentei diversas vezes fazer uma cirurgia para a remoção, mas fui negado. Eu estava muito irritado com a decisão da SNS (sistema público de saúde), e eu mesmo tentei fazer a retirada. Foi doloroso e havia sangue por todo o chão”, contou ele ao programa de TV “This Morning”.

Segundo ele, sua maior dificuldade era a vergonha de manter um relacionamento com uma mulher. “Eu ficava com vergonha de tirar minha blusa na frente da minha namorada, por isso decidi cortar o peito fora”, explicou.

Segundo a namorada, Charlene Cullen, de 30 anos, o rapaz, agora com 28 anos, demorou um mês para lhe contar o que havia de errado. “Ele estava muito envergonhado, mas isso não me incomoda”, tranquiliza.

O casal foi ao programa de TV para contar que conseguiram arrecadar £ 3 mil (cerca de R$ 11 mil) para pagar uma cirurgia particular, realizada no mês passado. “Agora não há mais nada lá. Eu fiquei acordado durante a operação porque queria ver que estava me livrando daquilo, dois anos depois de tentar retirar sozinho”, comemora o rapaz.

Agora sem o peito, Farshad diz que finalmente se sente feliz de novo. “Só espero que não volte mais”, diz.

Segundo médicos consultados pelo programa de TV, o problema de Farshad não é tão incomum, cerca de 400 homens são diagnosticados com ginecomastia a cada ano. A condição é causada por um desequilíbrio hormonal, ocorrendo mais comumente a partir dos 50 anos, mas raramente se manifestando de forma tão externa.

“É um caso surpreendentemente comum, especialmente em homens com mais de 50. Muitas vezes, o problema surge na adolescência e também pode ocorrer como um efeito colateral de alguma medicação”, explica o Dr. Jonty Heaversedge. “A maioria das pessoas costumam esconder o fato, mas isso mexe com a autoestima e dificulta os relacionamentos”, completa.

Fechar X
Sem mais artigos