Dilma Rousseff durante encontro com Jeferson Monteiro criador do Dilma Bolada, em 2013

Roberto Stuckert Filho/PR Dilma Rousseff durante encontro com Jeferson Monteiro criador do Dilma Bolada, em 2013

Acusado de ter recebido R$ 200 mil pela sócia e mulher do marqueteiro João Santana, Mônica Moura, o publicitário Jeferson Monteiro, criador da Dilma Bolada, disse que a empresária ligou para ele uma vez, mas nunca falou de dinheiro.  No depoimento, em delação premiada à Lava Jato, ela disse que Monteiro recebeu R$ 200 mil em dinheiro durante campanha à reeleição de Dilma Rousseff em 2014.

“Como Monica diz que alguém me deu dinheiro? Mentir em delação não é crime, não compromete a delação? Ela não vai provar isso nunca, porque não aconteceu”, afirmou Monteiro ao BuzzFeed Brasil. “Minha vida virou um inferno. Por ser uma delação premiada, acho que ganhou uma repercussão maior”, disse ele. A delação da empresária foi divulgada na quinta (11).

O dinheiro, que seria de propina, teria sido para não interromper a Dilma Bolada. Monteiro chegou a suspender o perfil. “Com a relação que eu tinha com a presidente, eu não precisaria dela (Mônica) e nem de chantagear ninguém”, afirmou: “Minha vida é um livro aberto. Eu não vivo no luxo. Estou devendo o aluguel”, disse.

Sobre a relação com a empresária, ele disse que durante a campanha de 2014, recebeu uma ligação dela. “Ela me ligou, falou que gostava muito da Dilma Bolada e que a gente tinha de se conhecer. Eu falei que tinha muito interesse no programa de TV da campanha, porque sou publicitário”, disse. “Em nenhum momento ela falou algo relacionado a dinheiro”, completou.

Fechar X
Sem mais artigos