Cientista que foi comida viva

Uma cientista foi comida viva por um crocodilo de 5,1 metros de comprimento depois de ser arrastado para dentro do seu recinto enquanto ela o alimentava.

Deasy Tuwo, 44, estava dando ao crocodilo, chamado Merry, pedaços de carne na sexta-feira de manhã em Sulawesi do Norte, na Indonésia.

Mas a besta ficou em pé sobre as patas traseiras e saltou de um muro de concreto com 2,4 metros de altura para puxar a pesquisadora para a água.

A equipe horrorizada da instalação – chamada CV Laboratory Yosiki – fez a desagradável descoberta por volta das 8h45 da manhã quando notou uma “forma estranha” na água.

Eles então viram o crocodilo deitado no chão com o corpo de Deasy em suas mandíbulas.

O réptil arrancou o braço esquerdo de Deasy e mutilou seu torso superior.

Equipes de resgate lutaram para recuperar o corpo de Deasy. Merry foi fotografado amarrado a um caminhão para ser levado para exames médicos para confirmar que ele tinha comido as partes do corpo.

Amigos descrevem Deasy como uma “pessoa quieta” que amava animais.

A ex-colega Merry Supit disse: “Ela era a chefe do laboratório. Uma pessoa quieta. Estamos confusos sobre como isso aconteceu”.

A equipe disse que Merry havia se revelado um animal agressivo que anteriormente atacou e matou outro crocodilo que estava em sua piscina.

O crocodilo será levado para um centro de resgate de animais selvagens no distrito de Bitung, onde serão realizados testes em seu estômago.

A polícia disse que eles estavam tentando rastrear o dono do crocodilo após o incidente. Acredita-se que ele seja um empresário japonês que abriu o centro de pesquisa.

Eles disseram que ele não estava no centro no momento do incidente.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos