5 milhões de mulheres protestam por proibição em templo

Estima-se que 5 milhões de mulheres em Kerala, na Índia, deram as mãos, criando o que chamaram de “muro das mulheres” para protestar contra a proibição do Templo Sabarimala às mulheres em idade de menstruação.

Duas mulheres, ambas na faixa dos 40 anos, entraram no templo pela primeira vez na quarta, após o protesto. Bindu e Kanaka Durga entraram no templo com o apoio da proteção policial.

O templo é um dos locais mais sagrados da Índia, e a prática de proibir a entrada de mulheres remonta a centenas de anos. Por 15 minutos, as mulheres formaram uma cadeia humana de quase 620 quilômetros para apoiar o fim da prática.

Após a visita, o templo teria sido fechado por uma hora para que os sacerdotes pudessem purificar o espaço. Após a visita, mais protestos eclodiram, e a polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar multidões.

Em setembro, a Suprema Corte da Índia cancelou a proibição, que incluiu mulheres de 10 a 50 anos. Nos meses seguintes, o templo tornou-se um local de protesto de religiosos conservadores que discordavam da decisão.

O partido nacionalista indiano hindu da Índia, o partido Bharatiya Janata, opôs-se fortemente à decisão e pede uma reversão da decisão, segundo o The Guardian. Enquanto isso, o partido governante de Kerala, que é o Partido Comunista da Índia, apoiou o fim da proibição.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos