Uma empresa de Massachusetts, Estados Unidos, anunciou uma nova tecnologia que permite criar diesel ou etanol com água, sol, e CO2.

A Joule Unlimited criou um organismo com engenharia genética que produz uma secreção de diesel ou etanol onde quer que encontre luz solar, água e dióxido de carbono.

A companhia alega que pode manipular os organismos em locais grandes ou pequenos e que a produção vai ter um custo comparável aos menores preços de combustíveis fósseis.

Bill Sims, executivo da Joule, afirma que a novidade pode trazer independência energética, e que “vai revolucionar a maior indústria do mundo”. O que é uma afirmação um tanto perigosa, já que vai mexer nos bolsos de uma galera realmente poderosa.

Sem biomassa, mas com eficiência duvidosa

A ideia de Sims é que a sua cianobactéria elimine o intermediário que existe atualmente na produção de diesel e etanol: toneladas de algas e milho.

Essa biomassa é cultivada, extraída e destruída para a extração de um produto que ainda será tratado e refinado, o que torna o processo atual caro demais. A secreção produzida pela cianobactéria seria o produto finalizado, e continuaria viva para seguir produzindo o combustível.

A Joule ainda tem que provar sua eficiência em larga escala, o que deve acontecer ainda esse ano, quando vão produzir experimentalmente em 10 acres.

Mas um produtor de etanol de algas, concorrente da Jaule, aponta para a eficiência da recuperação de combustível. Segundo os cálculos de Philip Pienkos, a Jaule não vai conseguir recuperar a pequena quantidade de diesel em na grande quantidade de água que será utilizada. “Eles estão trocando um problema por outro”, disse o cientista da Algenol.

Emissões de carbono

Os painéis utilizados pela Jaule, parecidas com as de energia solar, são modulares, podendo ser adaptadas para o tamanho do terreno disponível.

Uma das sugestões é instalar as placas perto de fábricas, e utilizar sua grande emissão de dióxido de carbono, aproveitando para diminuir as emissões do gás poluente.

Sims acredita que sua tecnologia estará disponível para comercialização em menos de dois anos, e para aqueles que  ainda estão céticos quando à sua novidade, ele recomenda que “vão para casa montados em seus cavalos e usem seus ábacos para fazer o balanço das finanças”.

Via Yahoo news

Fechar X
Sem mais artigos