Após uma exame de DNA, o escocês Ian Kinnaird, 72 anos, descobriu que pode ser neto de Eva, avô de todos na Grã-Bretanha, segundo a reportagem do jornal Daily Record. 

 

Ian fez um teste de DNA para rastear seus ancestrais, e segundo o jornal Daily Record, ficou surpreso ai  receber um telefonema dos pesquisadores. Eles disseram que Ian poderia ter descido diretamente do “Jardim do Éden”.

Os resultados mostraram que Ian tem um marcador genético, L1B1, que pode descender de uma linhagem antiga Africana, que nunca foi encontrado na Europa Ocidental, até agora. Ian, tem o DNA mitocondrial (mtDNA), que é passado através do lado da mulher, e é de 30.000 anos de idade.O professor aposentado disse: “Eu levava uma vida banal até agora”

A irmã de Ian, Jean, 65 anos, carrega o mesmo gene L1B1. A equipe de pesquisa que realizou o teste, disse que a maioria dos homens têm genes que tenham incorrido em torno de 200 mutações, desde os primeiros seres humanos, os de Ian e Jean sofreram apenas duas.

O historiador Alistair Moffat, que esteve envolvido na criação da pesquisa, disse: “É mais uma prova de que mesmo brancos anglo-saxões protestantes são descendentes de uma Eva negra. Esta linhagem é exibida na África, no Senegal, mas nunca foi visto no noroeste da Europa.”. Moffat acrescentou: “Uma mulher que poderia ser chamado de Eva e um homem que poderia ser chamado de Adão realmente existiram. Ian não pode passar esse seu DNA mitocondrial, mas sua irmã poderia, e ela tem uma filha que vai levar a linhagem.”

Um estudo realizado por DNA da Grã-Bretanha descobriu a maioria das pessoas em marcadores genéticos do Reino Unido datam de cerca de 3500 anos até os dias dos primeiros britânicos.



Fechar X
Sem mais artigos