Um fragmento de dente foi expelido do corpo de Jeff Weakley, ao estourar uma bolha no pé, 25 anos após ele ter sido mordido enquanto surfava, em Flagler Beach, na Flórida. E graças a um teste de DNA, o estadunidense pode enfim confirmar a ‘identidade’ do responsável: um tubarão-galha-preta.

“Fiquei um pouco hesitante de enviar o dente porque por um momento pensei que os pesquisadores poderiam devolvê-lo dizendo que, na verdade, fui mordido por uma cavala ou um zambaio-roliço – algo bem humilhante”, contou o editor da revista Florida Sportsman ao Museu de História Natural da Flórida, encarregado de realizar a investigação.

Contudo, sua suspeita estava correta e o responsável realmente era tubarão-galha-preta, frequentemente envolvido em acidentes com nadadores. “Fiquei bem animado para saber a espécie, sempre tive curiosidade”, afirmou.

Os pesquisadores ficaram tão surpresos quanto Weakley ao conseguirem determinar a espécie do animal. De acordo com o diretor do Florida Program for Shark Research, Gavin Naylor, era surpreendente que ainda havia traços de DNA no fragmento, pois ele havia passado 25 anos no pé do jornalista e foi submetido a ataques do sistema imunológico.

Para encontrar a solução deste caso, os pesquisadores limparam o dente e removeram parte do esmalte para colherem o tecido presente na cavidade, de onde foi extraído o DNA. Eles então compararam as sequências com dois bancos de dados com informações genéticas de tubarões e raias para, assim, confirmarem que a mordida foi feita por um tubarão-galha-preta.

Mistério resolvido e sem traumas! Weakley continua praticando surfe e afirmou que não há ressentimentos: “de maneira nenhuma passei a odiar tubarões ou querer vingança. Eles são parte da natureza”, reforçou.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos