Um homem foi preso pela Polícia Militar durante a madrugada desta quinta-feira (6) no Cemitério da Consolação, centro de São Paulo, onde furtava peças funerárias em companhia de outros suspeitos. Com ele foram apreendidos dois jarros e quatro jardineiras, avaliados em mais de R$ 9 mil. Ele já tinha sido preso pelo mesmo tipo de crime.  

Pelo menos três homens pularam o muro do Cemitério da Consolação e passaram a percorrer as alamedas, mexendo em peças de túmulos e mausoléus.

Eles se moviam furtivamente e falavam baixo, mas não passaram desapercebidos por um atento guarda municipal do cemitério, 39, que permanecia acordado, apesar de ser 1h25 da matina. O guarda ouviu o barulho e foi, sem fazer nenhum ruído, verificar o que estava acontecendo.

Ao perceber a presença dos intrusos, o guarda voltou silenciosamente para sua base e ligou para o serviço 190 da Polícia Militar. A chegada da viatura foi notada pelos invasores, que iniciaram uma debandada, correndo em direção ao muro para tentar escapar.

Dois ou três homens conseguiram fugir do cemitério, mas o sem-teto L.A.M.S., 23, não teve tanta sorte e ficou para trás, juntamente com os objetos furtados pelo grupo.

Eram dois jarros funerários e quatro jardineiras (espécie de vasos para flores). Cada jarro está avaliado em R$ 3.000 e cada jardineira, R$ 800, totalizando R$ 9.200.

O suspeito confessou que estava furtando peças funerárias em companhias de outras pessoas. Ele já tinha sido detido praticando o mesmo tipo de delito, registrado em boletim de ocorrência no 78º Distrito Policial (Jardins).  Ele foi mais vez autuado por furto qualificado tentado e levado para uma carceragem de trânsito. 

Fechar X
Sem mais artigos