Mãe é condenada a 10 anos de prisão por sexualizar amamentação

Uma mãe americana foi presa por dez anos por fazer vídeos “sexualizados” de si mesma amamentando seu filho, que ela compartilhou online. Leigh Felton, de 34 anos, publicou os vídeos de si mesma e de seu filho de 18 meses, em que ambos estavam nus, e os jurados foram informados de que ela parecia estar realizando atos sexuais. Segundo a People, os atos dos vídeos incluíam a mãe esfregando os seios no rosto da criança.

Ela foi considerada culpada de performance lasciva pelos jurados em Tallahassee, na Flórida, mas os jurados a liberaram de 33 das 34 acusações de abuso sexual que ela enfrentou. A polícia foi avisada quando uma mulher descobriu que seu marido havia viajado para a Flórida para encontrar Felten depois de assistir aos vídeos e teve relações sexuais com ela. Felton, uma professora de piano que trabalha com crianças com necessidades especiais, foi presa em outubro.

Ela havia sido acusada de molestamento lascivo e de promover uma performance sexual com uma criança e poderia ter sido condenada à prisão perpétua. Os vídeos, que incluíam títulos como “Mamãe é uma prostituta”, incluíam atrito e exposição genital, segundo promotores que alegaram que isso equivalia a um contato sexual.

A mãe testemunhou durante o julgamento, dizendo que não estava orgulhosa dos dez  vídeos que postou online. Ela disse que começou a criá-los depois que seu parceiro a conheceu, e a polícia tomou conhecimento deles quando um homem tentou pagar por um usando o PayPal. Felton disse aos jurados: “Finalmente, eu estava recebendo atenção e senti que tinha algum valor. Eu não sou um monstro.”

Ela sofria de solidão, depressão e baixa auto-estima depois que o pai do bebê a deixou, ela disse. Sua equipe de defesa afirmou que os vídeos constituíam liberdade de expressão.

A criança, agora com idade entre 18 e 24 meses, está sendo cuidada por seu pai.

Fechar X
Fechar X