Enfermeira Olga Ovinnikova ficou com queimadura de segundo grau no rosto

Autoridades da Europa temem que a Rússia se torne o epicentro da pandemia do novo coronavírus no mundo. Mas um caso específico sobre a doença chamou ainda mais a atenção para o país na última semana. Uma enfermeira teve queimaduras de segundo grau no rosto após usar uma máscara de tecido.

Olga Ovinnikova foi saber depois que a máscara que havia ganho do hospital onde trabalhava havia sido utilizada e desinfetada com alguma solução química, possivelmente um alvejante.

Olga sentiu o rosto começar a queimar pouco tempo depois de começar a usar a máscara e voltou ao hospital, agora como paciente, para entender o que havia acontecido.

Depois do relato médico, a russa usou as suas redes sociais para falar sobre o caso. Em entrevista a uma reportagem local, ela desabafou. “Espero que as agências policiais entendam que os autores sejam punidos. Infelizmente tenho que ficar em casa, no momento em que todos os funcionários são importantes e necessários”, disse.

Após o tratamento de alguns dias, Olga viu o a pele do seu rosto começar a voltar ao normal e agradeceu aos médicos por terem diagnosticado com precisão o que havia acontecido. O hospital onde a enfermeira trabalha alegou que segue os protocolos de higine, mas uma investigação policial, ainda em curso, já constatou várias violações.

Fechar X
Sem mais artigos