Se existe uma boa razão para não fazer uma prova, esta seria estar dando à luz. Mas nem isso impediu a estudante inglesa Khiara Darbyshire de ir até a faculdade e terminar os exames finais do ano letivo que, na Europa, se encerra em junho.

A estudante de 20 anos teve o parto induzido dois dias antes dos testes e decidiu fazê-los pessoalmente enquanto esperava para dar à luz sua filha, Poppy, horas depois. A jovem também é mãe de Hugo, de três anos.

“Eu contei para a professora que estava em trabalho de parto e ela ficou desesperada. Disse para eu ir embora imediatamente. Mas eu pensei que seria melhor fazer as provas em trabalho de parto do que com um bebê chorando. Então, eu simplesmente fiz”, contou Khiara ao site Metro.

Ela disse ainda que tinha ao lado uma máquina para ajudar no controle da dor com medicamentos. “Quando tinha contrações, focava na respiração até passar”, lembra.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos