Para saber mais sobre a eficácia dos métodos contraceptivos, conversamos com a ginecologista e obstetra especialista em reprodução humana Denise Coimbra, que comentou sobre alguns deles:

Camisinha masculina – é muito bem indicada em todas as relações sexuais como um preventivo de DST. Porém, não é segura como um método contraceptivo único, ou seja, é indicado o uso juntamente com outros métodos: tabela ou coito interrompido. O uso de camisinha não implica nenhum efeito colateral.

Camisinha feminina – é eficaz como método contraceptivo e DST. Pode ser usada sempre e não tem nenhum efeito colateral. Assim como a camisinha masculina, ela é vendida em qualquer farmácia.

Injeções – são muito eficazes, mas a médio prazo a pessoa pode engordar. Normalmente, são indicadas para quem tem dificuldades de ingerir pílulas por náuseas ou esquecimento. Há uma retenção hídrica.

Pílula – é o método mais simples e de fácil adesão. Contra indicação para quem tem antecedente de trombose, hepatite, tabagismo. Mas lembre-se: a pílula não tem efeito contra DST.

Pílula do dia seguinte – uma alternativa emergencial. É indicada em casos de estupro ou ruptura de preservativo em dia fértil.

DIU – pode conter hormonais ou não. Precisa de uma boa colocação (bom posicionamento para não falhar). Há riscos de infecção para quem não tem controle, o que pode comprometer a fertilidade. Para usar, não pode ter patologia de base como miomas, fluxo intenso, anemia ou trombocitopenia.

Tabelinha – é pouco eficaz e é mais seguro em ciclos regulares. Deve ser associada a outro método.

Fechar X
Sem mais artigos