Uma demonstração de agressão e intolerância chocou a China no último domingo.

Seguranças foram flagrados batendo em duas mulheres com tamanha violência que elas foram parar no chão. Testemunhas contaram que as duas eram militantes LGBTQ+ e estavam entregando bottons com a bandeira do Orgulho LGBTQ+ para os passantes quando foram abordadas pelos seguranças.

O incidente aconteceu no Distrito Artístico 798, em Pequim, local conhecido por suas galerias de arte moderna e cafés.

Os vídeos e fotos da agressão foram censurados do Weibo, o Twitter chinês, porém algumas das postagens retornaram nesta segunda. As imagens mostram as duas mulheres sendo cercadas por pelo menos cinco seguranças uniformizados. O Centro LGBT de Pequim afirmou em sua página do Weibo que uma das ativistas precisou levar pontos no rosto — a postagem, contudo, também foi censurada.

A homossexualidade deixou de ser crime na China há duas décadas. Como resposta à agressão, o Centro LGBT de Pequim começou uma petição online em que pede que os apoiadores dos direitos LGBTQ+ compartilhem fotos usando roupas com o arco-íris símbolo do movimento. Abaixo, veja um dos vídeos do incidente:

Fechar X
Sem mais artigos