Corpo celeste de um quilômetro de diâmetro, o 2016 WF9

Reprodução/Nasa Corpo celeste de um quilômetro de diâmetro, o 2016 WF9

Boatos de que um cientista russo chamado Dyomin Damir Zakharovich  teria afirmado que um corpo celeste de um quilômetro de diâmetro, o 2016 WF9, estaria em rota de colisão com o planeta e poderia dizimar a vida no planeta no dia 16 de fevereiro, levaram a Nasa a negar as especulação.

A agência especial dos Estados Unidos nega que exista motivo para temer o fim do mundo. “Estudamos a fundo a trajetória do WF9. O corpo celeste não representa ameaça no futuro próximo”, afirmou em  nota, detalhando que ele irá passar a 51 milhões de quilômetros da Terra.

Em setembro, o asteroide 2016 RB1, do tamanho de um ônibus passou a 40 mil quilômetros da Terra, um décimo da distância até a Lua. Sites publicaram declarações alarmistas do suposto astrônomo, que segundo o The Sun aparentemente não existe.

Fechar X
Sem mais artigos