Está prevista para esta sexta-feira (24), no Tennessee, a abertura do ‘National Enquirer Live’, um parque temático com mais de 1.858 m² que traz como atrações os principais escândalos acompanhados pelo tabloide norte-americano National Enquirer.

Os cenários interativos são inspirados em casos famosos, como o mistério do Pé Grande e a morte de John F. Kennedy, contudo, uma seção específica está causando polêmica: a reprodução e discussão da morte da princesa Diana.

O público pagará ingressos no valor de US$26,99 e US$16,99 (entrada infantil), aproximadamente R$ 108 e R$ 68, respectivamente, para ver uma apresentação em 3D do percurso feito pela realeza em Paris até o momento da batida fatal, que a matou em Agosto de 1997.

“Mostra o trajeto, desde a saída do Ritz Hotel, a perseguição dos paparazzis, o flash que acreditam ter cegado o motorista e como [o acidente] ocorreu”, explicou o empresário e o maior investidor da atração, Robin Turner, ao The Daily Beast.

Ele ressaltou, contudo, que esta é apenas “uma das 100 atrações” do parque, que inclui um tributo à infame capa do National Enquirer com o caixão aberto de Elvis Presley, e completa: tudo é tratado de “forma sensível”.

“Não há sangue, nada disso. Você verá o acidente de carro em uma animação feita pelo computador”, acrescentou o empresário. Durante a experiência, os visitantes ainda serão contemplados com teorias da conspiração acerca da morte de Diana e poderão votar na que mais acreditam – inclusive se acham que o serviço secreto britânico estaria envolvido no acidente.

Por mais que Turner insista que a atração é “sensível” e “feita de uma forma positiva”, quando questionado pelo The Daily Beast se os príncipes William e Harry ficariam ofendidos, ele hesitou: “espero que não… Mas é difícil afirmar. Eles são muito sensíveis. Com tudo que já viram… Você sabe… Não há nada nesta atração que eles não tenham visto”.

Os porta-vozes da realeza britânica procurados pelo The Daily Beast não quiseram comentar a atração.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos