A decisão de um juiz tem causado uma onda de protestos pela Irlanda. Mulheres têm ido às ruas contra o veredito que considerou um homem, de 27 anos, inocente de ter estuprado uma menina, de 17 anos, porque, segundo o juiz, ela usava uma calcinha sexy demais e isso seria um convite ao sexo e evidência de que teria consentido ao ato.

O advogado do acusado disse que o modelo da lingerie da vítima tinha como mensagem implícita que ela “estava aberta a conhecer alguém e estar com alguém naquela noite”, informou o site Daily Mail. A calcinha utilizada pela adolescente foi exibida na corte como prova. A advogada de defesa argumentou que isso é mais um episódio da “rotina de culpar a vítima”.

Desde então, ativistas pelos direitos das mulheres têm usado lingerie em público com a frase “isto não é consentimento” e ido às redes sociais com a hashtag #ThisIsNotConsent em solidariedade à jovem e protesto contra a decisão. O movimento ganhou apoio de políticos e a ministra Ruth Coppinger exibiu calcinhas no parlamento: “por que nada tem sido feito para parar com a rotina de usar estes mitos da cultura do estupro nos julgamentos?”, questionou.

Fechar X