A polícia turca empregou canhões de água e gás neste sábado (6) contra um grupo de pessoas que tentava entrar no parque Gezi de Istambul, fechado ao público há duas semanas, informou a emissora local “CNNTürk”.

Vários blindados e um forte esquema policial fecharam a rua Istiklal, uma das principais artérias comerciais de Istambul, para evitar que uma multidão se aproximasse do parque e da praça Taksim.

Segundo o jornal “Hürriyet Daily News”, várias centenas de pessoas haviam se concentrado nessa rua para participar de uma manifestação convocada para comparecer ao parque, bloqueado pela polícia há duas semanas, quando as milhares de pessoas que o ocupavam foram tiradas dali à força.

A multidão pediu a gritos a renúncia do governo e vaiou os policiais, que mais uma vez recorreram à força para dispersar a concentração.

O uso de gás provocou cenas de pânico e correria pelas ruas próximas, onde continua acontecendo confrontos, segundo o “Hürriyet”.

A plataforma Solidariedade com Taksim, que atuou como aglutinador da ocupação pacífica do parque por milhares de manifestantes, havia convocado uma concentração para entregar às autoridades a sentença judicial que declarou ilegais os planos municipais de urbanização da área verde.

Por sua parte, o governador de Istambul, Huseyin Avni Mutlu, tinha advertido que a manifestação era ilegal e que a polícia interviria para dissolvê-la. Mutlu anunciou que o parque voltará a ser aberto ao público neste domingo.

Os planos de destruição parcial do parque Gezi foram o detonador de uma onda de protestos que começou no final de maio e que evoluiu em um grande movimento de contestação cidadã contra o “autoritarismo” do Executivo turco.

Os protestos e manifestações foram duramente reprimidos pela polícia, com um saldo de quatro manifestantes e um agente mortos, assim como milhares de feridos. 

Fechar X
Sem mais artigos