Dia dos namorados. Como todo ano, a menina espera uma comemoração simples com seu namorado. Certamente ele irá levá-la para jantar e depois vão acabar a noite em um motelzinho qualquer. Legal, mas poderia ser mais. Homens nunca inovam, nunca se esforçam, pensa ela.

Na hora combinada, cerca de oito da noite, a campainha toca. É ele. Ele está com um buquê de rosas enorme em uma das mãos e uma caixa gigante na outra. Opa, a noite já está diferente.

Mas a menina mal poderia prever que as surpresas estavam apenas começando. Dentro da caixa está um vestido lindo que ele pede que ela vista imediatamente. O próximo passo é realmente um jantar, mas não em qualquer lugar, e sim no Terraço Itália. A noite parece perfeita.

Porém, por incrível que pareça, na volta ele decide não parar em um motel e se dirige direto para a casa dela. Estranho, ela pensa. Quando eles chegam em casa, eis a surpresa mor. O caminho da porta até a sacada do apartamento está desenhado por pétalas de rosas. Detalhe: enquanto eles estavam jantando, os amigos do cara cuidaram desse detalhe.

Eles se encaminham até a sacada onde, em cima de uma mesinha, está um balde de gelo com champanhe. Ela corre até o som e aperta play. Ao fundo começa tocar: “All we need is love”. Ela parece não acreditar no que está vendo. Então, chega o momento clímax da noite. Ele tira alguma coisa do bolso, se ajoelha no melhor estilo piegas e diz o que a essa altura ficou óbvio: quer casar comigo?

Na certa você está pensando: que cena de filme linda! Pois acredite menina, isso aconteceu de verdade, te garanto. Mas não a culpo se você não acreditar. Eu mesma demorei para aceitar que isso existe no mundo real. Quantas histórias iguais a essa você já ouviu? Agora que tal essa que aconteceu comigo esse final de semana?

Niver do meu pai. Churrasco em uma chácara alugada. Fui sozinha, sabem por que? Por que meu namorado foi para o Rio de Janeiro fazer um bate e volta para assistir o jogo do Palmeiras na reabertura do Maracanã. Nessa história vocês acreditaram, né? Também não as culpo. Para interesse deles (que se resume a futebol e videogame) eles são capazes das maiores loucuras. Daí, como gastam toda a criatividade e o dinheiro com isso, sobra muito pouco para nós. Quem vai culpá-los?

Fechar X
Sem mais artigos