O fotógrafo inglês Neil Aldridge percorre alguns pontos da África do Sul e de Botswana registrando o trabalho de agentes de conservação que cuidam de rinocerontes que tiveram seus chifres arrancados por caçadores.

Apesar de proibida, a caça ao animal é um grave problema, já que algumas culturas acreditam no poder medicinal de cura do chifre. De acordo com o site Daily Mail, classes altas da China e do Vietnã são o principal mercado consumidor.

A instituição protetora Rhino Conservation Botswana disse que se a caça continuar, os rinocerontes brancos podem estar extintos até 2024. O mercado ilegal de tráfico dos chifres gira, em média, $ 13 bilhões de libras (aproximadamente R$ 67,6 bilhões) por ano, no mundo. Um quilo do “produto” pode ser vendido por $ 50 mil libras (aproximadamente R$ 260 mil), fazendo dele o recurso natural mais valioso, sendo mais caro que o ouro.

Sem mais artigos