O título dessa matéria diz tudo: já imaginou como lidar com uma situação dessas? Pois é…

A idéia de escrever sobre esse tema veio de uma conversa com a estudante Ana Paula Rodrigues, 20, que tá saindo com um cara que provoca arrepios na melhor amiga dela, Bianca Navarro, 19. Cara-de-pau? Pior que não.

Bianca conheceu o cara nos tempos de colégio e vivia um tipo de “paixão platônica” por ele. Tímida, ela não dividia o sentimento com ninguém, nem com a melhor amiga. Até que, uns 2 ou 3 anos depois, o destino resolveu colocar o mané novamente na vida dela.

Ana, que nunca tinha visto ou ouvido falar dele, acabou conhecendo o figura numa balada e eles começaram a ficar. Algum tempo depois, toda empolgada, ela resolveu apresentar o novo ficante pra amiga. Resultado: desastre!

Ela abriu o perfil dele num site de relacionamento e, antes mesmo de falar que estava ficando com ele, Bianca já lançou algo do tipo: “Nossa, de onde você o conhece? Fui apaixonada por ele durante muito tempo. Aliás, até hoje eu sou meio balançada. Só de ver as fotos eu já fico morrendo de saudades”.

Bom, exageros à parte, depois dessa, Ana ficou sem saber o que dizer e inventou qualquer história. Mas o tempo foi passando e a situação se complicou. Um dia desses, o casal resolveu sair com alguns amigos e, chegando lá, advinha quem encontraram? Ela mesmo…

“Foi uma situação horrível. Imagina o que é você sair com o cara que você tá ficando e ver a sua melhor amiga dando em cima dele, sem saber de nada. E o pior: ela ainda ficou pedindo pra eu agitar os dois, pra ver se dava certo. Fiquei sem saber o que fazer…”, desabafa Ana.

É claro que ela não agitou ninguém e tratou logo de ir embora. Mas, depois disso, ela continuou sem contar a verdade pra amiga e tentou ir levando a situação. Só que isso durou pouco: algumas semanas depois, pelo mesmo site de relacionamento, Bianca acabou vendo fotos dos dois juntinhos e, claro, ficou p*** da vida.

História de novela mexicana? Pode ser. Mas tem gente que acha que isso tudo é problema do sexo feminino e que a situação poderia ser resolvida com muito mais facilidade.

“Normalmente esse tipo de coisa é mais fácil pros homens. A gente resolve tudo na hora, conversa e já se decide, sem problemas. Mulher é que tem mais frescuras…”, dispara o estudante de jornalismo Rodrigo Pereira, 22.

Será que isso é verdade? O fato é que agora a amizade entre as duas está abalada e o rolo com o cara nem virou namoro. A pergunta que fica é: valeu a pena?

Fechar X
Sem mais artigos