No Cazaquistão, 730 criminosos cumprem penas de até 25 anos ao lado de um detento incomum: um urso-pardo fêmea. Ekaterina foi condenada à prisão perpétua após dois ataques.

Segundo o Mirror, a ursa possui uma piscina na cela e se o tornou símbolo da prisão, ganhando uma estátua. “Ela é amigável, nada agressiva. Os outros prisioneiros a visitam”, contou o chefe da unidade, Aslan Medybayev, ao tabloide.

Ele explica que o animal se tornou menos violento em decorrência do grande tempo de aprisionamento. Com 22 anos, Ekaterina está presa desde 2004. Ela foi abandonada por um circo ainda filhote e levada a um acampamento. Porém, envolveu-se em dois acidentes ao atacar uma criança, que tentava alimentá-la, e um homem bêbado.

A ursa foi transferida para a prisão aos sete anos de idade, pois a região não possui nenhum zoológico para abrigá-la. “Ela é bem calma, adora as coisas doces que damos para ela, como bolachas e maçãs”, detalhou o detento Igor Tarakanov. “Conversar com um animal ilumina meus dias aqui, torna-os menos dolorosos”, desabafou.

Fechar X
Fechar X