Em época de Big Brother Brasil, a frase “pode espiar à vontade” é dita e repetida milhares de vezes, todos os dias. Mas, quando o assunto é sexo, podemos espiar tudo mesmo?

A sensação de prazer ao ver outras pessoas fazendo sexo ou tendo relações mais íntimas tem um nome: voyeurismo. Ele pode se manifestar de várias formas, mas a mais comum é aquela em que o voyeur fica só observando, escondido, e não participa ativamente da relação.

É perfeitamente normal que a grande maioria das pessoas já tenha tido curiosidade de olhar pelo buraquinho da fechadura pelo menos uma vez na vida, mas será que o exagero nesse tipo de comportamento não pode ser algo obsessivo ou doentio?

Pra tirar essas e outras dúvidas, conversamos com a Dra. Sandra Vasques, psicóloga e terapeuta sexual. Se liga só no que ela disse: “O prazer de olhar não é uma doença, desde que ele não seja exagerado. É preciso ter bom senso e respeito consigo mesmo e com o outro”.

Dra. Sandra, que também é orientadora sexual do Instituto Kaplan de Sexualidade, ressalta que não há problema nenhum em sentir prazer com o voyeurismo, mas deixa bem claro que a pessoa não pode ser escrava dessa forma de sexo. “É muito importante que o indivíduo tenha outros estímulos sexuais e desenvolva vários meios pra se satisfazer. Senão, o comportamento passa, sim, a ser algo doentio e a coisa deixa de ser natural e saudável”, afirma.

Um dos fatores que mais aguça o tesão dos voyeur é o risco de ser descoberto. “A adrenalina que rola na hora é algo inexplicável. Você fica a mil por hora e o prazer aumenta a cada segundo que passa”, explica o empresário Rogério Lopez, 33, que se considera um praticante nato do voyeurismo. “Sempre tive desejo de espiar, de bisbilhotar. Desde minha adolescência, gosto de observar as pessoas e as intimidades de cada um”, revela.

Mas é bom ter cuidado: se o bisbilhoteiro for pego em flagrante e as pessoas que foram vistas não gostarem da situação, a criatura pode sofrer conseqüências legais por cometer invasão de privacidade.

Por isso, é bom escolher bem a hora e o local pra poder satisfazer esses desejos. As casas de swing, por exemplo, são ótimos lugares pra liberar a fantasia e despertar o prazer em observar o outro.

Agora que você já sabe um pouquinho mais sobre o assunto, pode ir separando o seu binóculo e a sua câmera porque, com certeza, você vai sentir vontade de espiar alguém…

Fechar X
Sem mais artigos