Agora virou moda proibir anúncios por propaganda enganosa devido ao uso de imagens com excesso de edição. Depois de proibir a campanha do rímel NatureLuxe Mousse Mascara da marca CoverGirl estrelado pela modelo Ann Ward, um anúncio com Taylor Swift para a mesma marca também acaba de ser barrado. 

A National Advertising Division, órgão regulador de publicidade nos estados Unidos decidiu retirar de circulação o anúncio, pois o produto “NatureLuxe Mousse Mascara” faz propaganda enganosa por ser vendido como um rímel que deixa os cílios com “duas vezes mais volume” e de com composição “20% mais leve”, mas essas afirmações não foram comprovadas.

A organização também condena a foto da cantora por ter sido excessivamente manipulada em programas de edição de imagem, se tornando muito distante da realidade. O anúncio possui um aviso impresso na página, dizendo que os cílios da foto foram “aprimorados na pós-produção”, mas a frase não foi suficiente para salvar a propaganda.

“Você não pode usar uma foto para demonstrar como um cosmético vai funcionar quando aplicado ao rosto de uma mulher e, depois, dizer: ‘ok, não é bem isso’” – explicou a diretora da National Advertising Division, Andrea Levine, ao site “Business Insider“.

Essa não é a primeira vez que empresas de beleza, têm tido problemas de uso excessivo de Photoshop. Em junho, a Advertising Standards Authority, associação britânica que regulamenta as publicidades do Reino Unido, decidiu proibir os anúncios da Lancôme e Maybelline, que trazem Julia Roberts e Christy Turlington como garotas propaganda. A justificativa para a proibição foi: propaganda enganosa. Segundo a associação, o uso excessivo de programas de tratamento de imagem fazem como que o público alvo das marcas (no caso as mulheres) tenham uma visão distorcida da realidade.

Fechar X
Sem mais artigos