Brisa Flow

Brisa de La Cordillera Flow é uma cantora brasileira de origem chilena que mistura sua levada latina com rap, eletrônico e neo soul. Sua discografia até aqui é composta pelo seu disco de estreia, Newen, e Selvagem Como o Vento, lançado em dezembro.

A artista se caracteriza por ter uma musicalidade livre que flui com suas composições que sonorizam temas relacionados à vivência das mulheres e a desigualdade social presente na América Latina.

Em 2017, lançou a música RaiaoSol; um trap que aborda o amor bissexual e  neste mesmo ano o single e videoclipe de Dias e Noites de Amor e Guerra. inspirado no livro de Galeano com o mesmo título e na luta das mulheres mães solos periféricas.

Em Selvagem Como o Vento, Brisa Flow tratou sobre a temática do movimento como amor próprio e resistência. As bases foram construídas com instrumentos eletrônicos e analógicos e com influencias de rap, neo soul, tecno e house.

Em que aspectos acha o machismo mais evidente na música?
Brisa Flow – O machismo está desde a seleção para o line do show até às mídias que só geram conteúdo em torno de homens. Por exemplo listas de melhores do ano, melhores discos ou músicas em que aparecem a maioria homens. Seguem nos colocando em “anexo”.

O que está rolando de mais interessante na música hoje na sua opinião?
Brisa – Tô curtindo muito esse jazz que tá rolando com mais espaço na cena pras minas e pra experimentar novos sons. As gay e as trans e as lésbicas também ganhando espaço na música independente e fazendo seu som a sua maneira sem estigmas ou rótulos.

Outra coisa que tenho adorado são as cantoras que estão se arriscando a fazer experimentações sonoras sem se prender muito a gêneros.

Que característica crê que seja mais marcante na sua geração?
Brisa Flow – A depressão e a ansiedade que às vezes penso que vem desse tempo que vivemos de uma” felicidade” instantânea estampada no mundo virtual.

Quais são suas principais referências estéticas fora da música?
Brisa – Arte ameríndia. Dança. Gosto de ir em exposiçoes e assistir performances.

Quais são suas maiores influências?
Brisa – Erykah Badu , Sade, Klauss Vianna, mulheres de luta da minha vivência – são várias.

Quais são seus valores essenciais?
Brisa – Sem proceder não se para em pé/ Hay que endurecer Pero sin perder lá ternura/ Evitar covardia e crueldade Valorizar a vivência

Quais são suas próximas jogadas?
Brisa – Depois de lançar o disco Selvagem como o Vento estou focada em lançar e fazer os clipes que completam a ideia e os sentimentos desse trabalho. Também vou lançar as participações com V Xamã, Badsista e singles do verão. E esse ano quero produzir umas minas também.

Fechar X
Fechar X