Uma fera, um bicho, um anjo e uma mulher

* Veja fotos da cantora

* Ouça aqui a canção No recreio

10 de dezembro, Cássia Eller completaria 40 anos. Já não é mais preciso dizer que a cantora deixou o mundo da música de uma hora para outra chocando todo o país. Tudo aconteceu dia 29 de dezembro de 2001, quando Cássia teve muitos enjôos durante a madrugada, chegando a vomitar, foi internada durante a manhã e depois de três paradas cardíacas veio a falecer.

Especulações inúmeras sobre as causas de sua morte vieram, os exames negaram a ingestão de drogas e bebidas alcoólicas, contestações foram feitas, mas já não importa o que e o porque. É fato que Cássia se foi e segundo muitos amigos da cantora ela já vinha à muito tempo lutando contra o vício da cocaína.

Para trás a cantora deixou muitos amigos, a família, sua mulher Maria Eugênia, o filho Chicão e uma inédita passagem pela música popular brasileira. Há quem olhe para Cássia e lembre de uma mulher explosiva, rebelde, fera, de uma voz sem igual. Verdade. Mas Cássia era uma uma mulher tímida, mãezona, amiga, simples e guerreira.

Quem conheceu Cássia atrás dos palcos da vida sabe disso. Lan Lan, percusionista da banda, Ronaldo Villas, seu produtor, amigos como Zélia Duncan, Nando Reis, não cansaram de dizer isso.

Neste dia 10, a gravadora Universal lança o álbum póstumo ’10 de dezembro’ em homenagem a cantora. Com 11 faixas, o CD veio de uma pesquisa do arquivo da Universal, gravações de shows, e outros projetos encabeçado pelo produtor Roberto Villas, a ajuda e Nando reis, Lan Lan e Waltinho, que acompanharam Cássia desde 1995.

* Dez de Dezembro – O Diário do Projeto, Por Ronaldo Villas

Fechar X
Sem mais artigos