Fechar X

Zeca Pagodinho faz aniversário nesta terça-feira (04), mas quem ganha presente são seus fãs. Ele será homenageado pelo projeto Sambabook, pacote de lançamentos que reúne CD e DVD gravados ao vivo, livro sobre sua vida e songbook com cifras de suas músicas.

Aos 55 anos e comemorando 30 anos de carreira, o sambista esteve ao lado de parceiros e amigos nas gravações do DVD, que aconteceram em dezembro último na Cidade da Música, na Barra, Rio de Janeiro. Beth Carvalho, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Sombrinha, Almir Guineto e Monarco foram alguns dos parceiros de longa data que dividiram o microfone com ele, além de vozes que ainda não haviam cruzado com a de Zeca, como a do rapper paulista Emicida, e de parceiros recentes, como Djavan.

A festa para Zeca traz como brinde adicional para seu fã-clube o lançamento na internet, nesta terça, do primeiro clipe do Sambabook – Camarão que Dorme A Onda Leva, lançado com exclusividade pelo Virgula Música. O samba, uma parceria de Zeca com Beto Sem Braço e Arlindo Cruz, foi registrado logo no primeiro dia de gravações, e acabou ganhando uma versão final com todos os convidados.

“Ouvi todas as gravações, fiz a ponte entre os artistas, levei as bebidas, mas de resto, tudo ficou por conta da produção”, conta Zeca, que se comportou como um verdadeiro anfitrião no estúdio. O que tornou o clima absolutamente descontraído, com muito bate-papo e gargalhadas, graças às histórias impagáveis contadas pelo sambista.

Veja o clipe de Camarão que Dorme a Onda Leva: 

Exclusivo: Veja o clipe inédito de Zeca Pagodinho

O projeto, que tem previsão de lançamento em abril, será comercializado em formato CD, DVD e Blu Ray, além de um fichário com partituras e um livro com a discografia de Zeca. “O grande barato do Sambabook é resgatar o tamanho que tem o samba. É a maior expressão da música brasileira e ainda não havia um trabalho que correspondesse à essa magnitude”, afirma Luiz Calainho, sócio da produtora Musickeria e um dos realizadores do projeto.

Calainho diz que, desde a primeira edição, que homenageou João Nogueira, passando pelo segundo lançamento com Martinho da Vila, o Sambabook teve um significativo crescimento em vendas. “Além disso, aprofundamos as questões digitais e atualmente temos redes sociais mais abrangentes. Na gravação do Martinho, tivemos a participação da Orquestra Petrobras Sinfônica, o que já pode ser considerado uma evolução em relação ao primeiro. Agora, tivemos a presença do Instituto Itaú”, conta Calainho.

Além do clipe de Camarão que Dorme A Onda Leva, também estão sendo lançados nesta terça o portal www.sambabook.com.br/zecapagodinho, com imagens e informações sobre o projeto, e a webradio do Sambabook.

Aproximação recente

Djavan, que já havia participado das gravações do Sambabook de João Nogueira, foi um dos convidados nesta homenagem a Zeca. Os dois estrearam recentemente como parceiros em Eh, eh, música dedicada a Alcione e gravada por ela em seu último disco. “A gente se conhecia, mas nos víamos eventualmente. Quando surgiu a idéia da parceria, que aconteceu quando estávamos em Orlando com nossas famílias, os encontros passaram a ficar mais freqüentes”, lembra Djavan, contando que Zeca preferiu fazer a letra da música.

Djavan diverte-se ao lembrar de um desses bate-papos, que aconteceu em sua casa. “Eu separei duas garrafas de vinho e ele trouxe quatro! É claro que, no final, ele já tinha bebido todas… Zeca é uma figura ímpar, tem histórias incríveis, além de ser um amigo generoso”, diz. Nas gravações do Sambabook, o clima não foi diferente: “Tudo foi muito descontraído e divertido, Zeca não para de falar! Lá, eu não queria beber, mas ele ficou instigando. Aí, para não fazer desfeita, tomei uma taça…”, brinca Djavan.

Homenageado anteriormente no Songbook de Almir Chediak, com dois volumes com partituras para piano e violão e três CDs, Djavan conta que recebeu cinco músicas para escolher qual gravar no Sambabook de Zeca. “Primeiro pensei em SPC (que acabou ficando por conta de Dudu Nobre), mas acabei optando por Judia de Mim, achei que renderia melhor”, revela.

Na gravação de Camarão que Dorme A Onda Leva, Djavan fez dueto com Mumuzinho, que ficou encantado em participar do projeto. “Me senti um grãozinho em meio a tantas feras! Eu cresci ouvindo esses nomes e considero uma grande vitória estar ao lado deles”, diz, humilde, o cantor de 30 anos. Mumuzinho, que em breve retorna à TV no elenco do programa Esquenta, diz que foi Afonso Carvalho, produtor e empresário de Diogo Nogueira, que o convidou para o projeto. “E eu que escolhi Vou Botar Teu Nome na Macumba para cantar, como uma grande homenagem ao Zeca”, diz.

Um dos realizadores do Sambabook, Diogo Nogueira participa da edição dedicada a Zeca cantando Lente de Contato, uma canção de 1999 não muito conhecida. “Eu é que pedi para cantar essa música. É linda, sempre curti, e foi maravilhoso gravar junto com meu amigo Hamilton de Holanda tocando bandolim”, diz Diogo, que conhece Zeca desde criança. “Sou fã e amigo, ele é um cara especial e estava muito feliz na gravação, acho que fizemos uma homenagem de alto nível, como é o Zeca!”, diz

A maioria das canções românticas do repertório foi interpretada pela ala feminina dos convidados. Como Mutirão de Amor, com Roberta Sá; Lama nas Ruas, com Beth Carvalho; Alto Lá, com Maria Rita; e Ter Compaixão, com Alcione. “Gravar para o Sambabook de Zeca foi um convite irrecusável, até porque a música é lindíssima, e Zeca é aquele ser que a gente ama. Fiquei honradíssima por ter sido convidada a participar dessa história musical, que é tão linda e de tamanho sucesso”, diz Alcione, emocionada.

O projeto tem também Jorge Ben Jor (Depois do Temporal), Gilberto Gil (Não Sou Mais Disso), Emicida (Bagaço da Laranja), Sombrinha (Menor Abandonado), Marcelo D2 (Quem é Ela), Nilze Carvalho (Já Mandei Botar Dendê), Jorge Aragão (Termina Aqui), Martinho da Vila (Faixa Amarela), Lenine (Dor de Amor), Monarco e Velha Guarda da Portela (Falsa Alegria), Almir Guineto (Em Nome da Alegria), Arlindo Cruz (Se Eu for Falar de Tristeza), Frejat (Brincadeira Tem Hora), Pericles (Talarico Ladrão de Mulher) e Mariene de Castro (Lua de Ogun).

Fechar X
Sem mais artigos