No último sábado (6), Halsey fez um discurso bastante pessoal no Ending Youth Homelessness, evento beneficente em prol de jovens sem-teto. Ao ser homenageada, a cantora lembrou de quando morou na rua após ter sido expulsa de casa, aos 19 anos, e revelou que prostituição já foi uma opção para ela.

“Enquanto meus amigos escolhiam a decoração de seus dormitórios, eu estava pensando se deveria ou não deixar um estranho entrar em mim para pagar a próxima refeição”.

“Não foi porque eu fiz algo ruim, porque tinha algo de errado comigo ou porque meus pais não me amavam – pois eles amavam muito. Mas uma série de circunstâncias infelizes me levaram a estar naquela posição e isso pode acontecer com qualquer pessoa.”

Quando conheceu Jeremy Vuernick, da Capitol Music Group, ela conta: “tinha um cabelo maluco, uma música demo nos bolsos e uma mochila cinza. Sentei em seu escritório e ele me perguntou ‘o que tem na sua mala?’. Então olhei em seus olhos e respondi ‘essa é a minha casa'”.

Durante o discurso, apesar de querer manter a leveza do evento, ela lembrou: “essa epidemia é mortal. É mais do que jovens precisando de validação e de atenção. É mais do que identidade, esperança, é questão de vida ou morte.”

Halsey condenou àqueles que querem ajudar jovens em situação carente por interesse ou porque há uma pequena chance deles se transformarem em uma celebridade, como ocorreu em seu caso. “Nós não devemos ajudar só porque ‘eles podem se tornar alguma coisa’, porque eles já são alguma coisa”, enfatizou, sendo bastante aplaudida.

Em uma entrevista à revista Rolling Stone, a cantora já havia contado que chegou a gastar os últimos novo dólares de sua conta em energéticos. “Bebi para me manter acordada por uns dois ou três dias, isso era menos perigoso do que dormir em um lugar aleatória e ser estuprada ou sequestrada”, disse à publicação em 2016.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos