O juiz James R. Brandlin, da Corte Superior do condado de Los Angeles (EUA) revogou na última segunda-feira (15) de forma temporária a liberdade condicional do cantor Chris Brown por deixar indevidamente a cena de um acidente de trânsito e dirigir sem habilitação, segundo o site TMZ.

Brown, de 24 anos, estava em liberdade condicional desde 2009, quando foi condenado por agredir sua então namorada, a também cantora Rihanna.

O rapper evitou a prisão na época em troca de se comprometer a respeitar escrupulosamente a lei durante os próximos cinco anos.

No dia 21 de maio deste ano, Brown colidiu seu veículo com o de uma mulher antes de um sinal que tinha ficado vermelho em uma rua de Los Angeles.

Segundo as autoridades, o cantor foi embora sem entregar a devida documentação do seguro e sua licença de dirigir à motorista do outro veículo, o que são consideradas duas faltas leves, mas suficientes para que Brown seja preso.

“Fiz tudo o que se supunha que tinha que fazer durante o ‘chamado’ abandono. Disse a informação correta. Não houve feridos nem danos, vamos!”, afirmou hoje Brown em sua conta no Twitter.

O juiz permitiu que o artista continue em liberdade até que seja realizada uma nova audiência, em 16 de agosto, na qual se pronunciará sobre o caso. Brown pode ser condenado a até 4 anos de prisão.

Segundo o TMZ, a mulher que dirigia o outro automóvel se manifestou através de seu advogado contra que o episódio possa levar Brown à prisão.

O relato dos acontecimentos, descrito pelo jornal Los Angeles Times, indica que o rapper discutiu com a motorista e a teria insultado e menosprezado por ter menos dinheiro que ele.

Aparentemente, Brown perdeu os nervos quando a mulher começou a tirar fotos dos veículos acidentados a fim de apresentá-las a sua companhia seguradora.

Fechar X
Sem mais artigos