Fontes informaram hoje que Layne Staley deve ter morrido há cerca de 15 dias e que ao seu lado foram encontradas seringas e objetos relacionados ao consumo de drogas.

O ex-líder da finada banda Alice in Chains, o grupo de rock cujas letras mórbidas sobre a morte vendeu milhões de álbuns durante a revolução “grunge” da década de 1990, morreu possivelmente por overdose, disse um porta-voz da polícia.

O corpo de Layne Staley, 34, foi descoberto em seu apartamento na sexta-feira, depois que a polícia atendeu um chamado de um amigo que ficou preocupado por não vê-lo por várias semanas, disse o porta-voz do departamento de polícia, Duane Fish, à Reuters. Ele não quis identificar o amigo do vocalista.

Staley estava longe dos palcos há anos, tendo feito sua última gravação em 1998 com a versão de ‘Another Brick the Wall’ do Pinl floid com Tom Morello, Stephen Perkins e Martyn LeNoble que foi incluída na trilha do filme The Faculty.

O cantor iniciou sua carreira na música primeiro como baterista aos 12 anos. Staley também era ilustrador, assinando as criações do logotipo do Alice In Chains, a capa do disco de Mad Season.

Na cidade de Seattle, na noite de sábado, cerca de 100 fãs se concentraram em frente ao International Fountain para homenagear o vocalista. Os fãs cantavam carregando flores e velas, mas afirmaram a imprensa que a morte de Staley era esperada, pois o cantor já havia admitido nos anos 90 sua dependência em heroína, além de cantar músicas que tratavam de drogas.

Fechar X
Sem mais artigos