Colombianos do Systema Solar

Nos dias 28, 29 e 30 de setembro, a cidade de Paraty receberá o MIMO Festival 2018, um dos mais importantes festivais de música do Brasil, apresentado pelo Bradesco e Ministério da Cultura.

Totalmente gratuito, o projeto multicultural que nasceu em Olinda há 15 anos já reuniu 1,5 milhão de pessoas e cerca de 3.500 artistas. Consolidado como o maior festival de música gratuita do país, o MIMO Festival anuncia a programação da primeira cidade brasileira na edição de 2018. Durante três dias, Paraty vai receber mais de 20 atrações, entre shows, concertos, filmes inéditos, poesia, fórum de ideias e workshops.

Os palcos da Igreja Matriz Nª Sª dos Remédios e da Praça da Matriz receberão artistas diversos como: o consagrado grupo colombiano Systema Solar; os pernambucanos do Cordel do Fogo Encantado; a baiana Virgínia Rodrigues; e os incensados músicos do Songhoy Blues, grupo que vem do Mali depois de se apresentar nos mais importantes festivais mundiais, e faz apresentação inédita no Brasil. Completam o lineup de Paraty a animação da artista carioca Letícia Novaes com o seu Letrux e um dos artistas vencedores do Prêmio MIMO Instrumental, que será anunciado no dia 14 de setembro.

Songhoy Blues, grupo que vem do Mali

Diante de um dos mais difíceis cenários para a produção cultural brasileira dos últimos anos, o MIMO também tem a sua realização afetada em 2018. A apresentação da cantora francesa Camille, prevista para o palco principal da cidade, teve que ser cancelada em virtude da instabilidade econômica, cambial e política do Brasil e a descontinuidade de patrocínios já tradicionais ao festival.

Ainda assim, o MIMO Paraty traz em paralelo à programação de concertos, uma das melhores safras do cinema musical nacional dos últimos tempos, com filmes sobre grandes personagens como o Ultraje a Rigor, os músicos Marcelo D2 e Planet Hemp, Lanny Gordin e muitos outros. Uma prova que a crise não afeta a criatividade. No total, foram 30 produções selecionadas entre as mais de 180 inscritas, para serem exibidas nas edições de Paraty, Rio de Janeiro, São Paulo e Olinda. A edição do Festival MIMO de Cinema, em Paraty, pela primeira vez ocupará o recém-inaugurado Cinema da Praça exibindo nove filmes inéditos. O público poderá assistir os longas-metragens “Ultraje”, de Marc Dourdin, “Semente da Música Brasileira”, de Patrícia Terra, “Inaudito”, de Gregório Gananian, e “Legalize Já – Amizade Nunca Morre”, de Johnny Araújo e Gustavo Bonafé. Para o público infanto-juvenil, o festival escalou a animação, “Os Under Undergrounds, o começo”, de Nelson Botter Jr.

Cordel do Fogo Encantado

A tradicional Chuva de Poesia vai homenagear Hilda Hilst, autora brasileira de mais de 40 títulos de poesia, teatro e ficção. Trechos de sua obra cairão “do céu”, promovendo o encontro do público com gotas de literatura que retratam a vulnerável condição humana.

No campo do pensamento, o Fórum de Ideias discutirá temas como O Canto como força no protagonismo feminino negro, tendo como palestrante a cantora Virgínia Rodrigues e A cultura Sound System da Colômbia: arte, tecnologia e liberdade, com o grupo Systema Solar. Mediadas pela jornalista Chris Fuscaldo, as palestras abordam as trajetórias artísticas dos participantes, fortemente marcadas pela resistência e pelo diálogo político-social.

“Nesses quinze anos, o MIMO sempre foi um festival pautado pela resistência de quem aposta na cultura, na luta pela valorização da diversidade musical, dos novos talentos e dos já consagrados. Por isso seguimos adiante e celebramos nossa trajetória, mesmo diante de tantas adversidades como a da edição deste ano. Nunca se produziu tanta gente boa como agora, novos nomes. O que está muito mal é a questão dos investimentos em cultura, e que precisa mudar para a sobrevivência do setor”, resume a diretora geral do projeto, Lu Araújo.

Letrux em foto de Antonio Brasiliano

CONCERTOS MIMO PARATY

Na música, o MIMO Paraty traz a oportunidade única do público conhecer artistas que se apresentam pela primeira vez no país, como a mistura de blues do deserto, hip hop e rock do Songhoy Blues, grupo do norte do Mali, formado por Aliou Touré (vocal), Garba Touré (guitarra), Oumar Touré (baixo) e Nathanael Dembelé (tambores). O Songhoy Blues lança o seu segundo álbum, “La Résistance”, trabalho que teve participações de Iggy Pop, do rapper britânico Elf Kid e das meninas do Stealing Sheep.

Na primeira noite do festival, o som psicodélico e dançante do grupo colombiano Systema Solar mistura vários estilos tradicionais colombianos, com ferramentas eletrônicas do hip hop, house e techno. Em seguida, uma das bandas de maior destaque da cena musical brasileira, os pernambucanos do Cordel do Fogo Encantado, que se reúnem novamente depois de oito anos separados e apresentam seu quarto álbum de músicas autorais, “Viagem ao Coração do Sol”. DJ Montano, artista residente no MIMO desde 2015, abre as noites do palco principal com seu som multicultural.

Comemorando 20 anos de carreira, a cantora Virgínia Rodrigues abre a segunda noite do MIMO Paraty na Igreja Matriz de Nª Sª dos Remédios com seu belo trabalho de preservação e resgate da cultura afro-brasileira. É a primeira vez de Virginia nos palcos do MIMO, com um show que reúne canções que contam sua história, desde ter sido descoberta por Caetano Veloso, no bando de teatro Olodum, até seu trabalho mais recente, Mama Kalunga (2015), elogiado álbum no qual entrelaça ritmos e sotaques para saudar a mãe África.

No palco principal tem Letrux, com o primeiro álbum solo de Letícia Novaes após o fim do duo Letuce (no qual cantava com Lucas Vasconcellos). “Letrux em Noite de Climão” foi eleito o Melhor Disco do Ano pelo júri do Prêmio Multishow 2017, após indicação ao lado dos trabalhos de Chico Buarque e Rincón Sapiência.

FESTIVAL MIMO DE CINEMA

Com curadoria de Rejane Zilles, cineasta e diretora do Festival MIMO de Cinema, que avaliou os filmes junto à Comissão de Seleção formada pelo crítico de cinema Marcelo Janot e pela cineasta Anna Azevedo, o festival teve 182 inscrições, das quais 30 produções foram selecionadas, nos formatos de curta, média e longa-metragem.

Destaque em Paraty para os filmes longas-metragens Ultraje, direção de Marc Dourdin, documentário sobre a banda de rock Ultraje a Rigor; Semente da Música Brasileira, com direção de Patrícia Terra, que conta a história de um grupo de músicos responsáveis pela revitalização do bairro boêmio da Lapa, no final dos anos 90; Os Under Undergrounds, o Começo, direção de Nelson Botter Jr., filme infanto-juvenil; Inaudito, de Gregório Gananian, sobre o guitarrista Lanny Gordin, um dos personagens fundamentais na transformação da música brasileira a partir da década de 60; e Legalize Já – Amizade Nunca Morre, de Johnny Araújo e Gustavo Bonafé, sobre o encontro entre dois jovens, Marcelo – futuramente, conhecido como Marcelo D2 – e Skunk, que culminou na formação do Planet Hemp.

Também na programação os curtas 6 por 20, de Daniel Tumati, Marina Gerasso, Maria Fernanda Genuncio, Vitor Rodrigues e Luna Gámez, sobre o Viaduto Negrão de Lima, ponto de encontro clássico da música da Zona Norte do Rio de Janeiro; É Por Isso que Estou Aqui, de João França, em que o diretor acompanha uma residência artística na península de Gaspé, Canadá, e vai a fundo nas conexões entre os participantes; Tetê, com direção de Clara Lazarim, no universo da compositora e intérprete Tetê Espindola; e Travessia, de Thiago Antunes, que mostra o percurso de jovens poetas do ritmo nas Rodas Culturais da Zona Norte do Rio de Janeiro, nas chamadas Batalhas de Sangue e de Poesia.

 

MIMO FESTIVAL

Com edições ininterruptas desde 2004, o festival já realizou mais de 436 concertos, exibiu 287 filmes, reuniu 3.340 músicos, beneficiou 22.000 alunos em 355 aulas do programa educativo, até 2017. A recém finalizada edição portuguesa do MIMO Festival, na cidade de Amarante, reuniu 70.000 espectadores em três dias, entre os dias 20 e 22 de julho, com diversas atrações de estilos e gêneros.

Desde 2013, o MIMO vem promovendo atitudes sustentáveis para preservar e proteger o Meio Ambiente. Todas as suas peças de comunicação são recicladas e transformadas em novos produtos. A partir do ano passado, o festival começou a substituir o descartável, eliminando copos e canudos plásticos e substituindo por reutilizáveis, contribuindo para o consumo consciente e possibilitando a redução de até 80% dos resíduos gerados. A previsão é que o MIMO 2018, nas cidades de Paraty, Rio de Janeiro, São Paulo e Olinda, evite a utilização mais de 500mil copos plásticos descartáveis.

Em 2018, o MIMO celebra 15 anos, sendo aguardado pelo seu fiel público com enorme expectativa nas cidades de Paraty (28 a 30 de setembro), Rio de Janeiro (15 a 17 de novembro), São Paulo (19 e 20 de novembro) e Olinda (23 a 25 de novembro). Realizado por Lu Araújo Produções, o MIMO Festival é apresentado pelo Bradesco e Ministério da Cultura e conta com o apoio da Estácio e tem como companhia Aérea Oficial a Azul Linhas Aéreas.

Desde a sua primeira edição em Olinda, o MIMO Festival tem como proposta apresentar novos artistas, além de homenagear nomes consagrados. Essa união possibilita a integração do público com representantes de diferentes culturas e gêneros musicais, num festival que tem como principal marca a diversidade artística. Outro aspecto fundamental do MIMO, é a sua realização em cidades históricas brasileiras, gerando empregos, renda e o incremento do fluxo turístico, valorizando e promovendo o patrimônio cultural do país.

NÚMEROS DO MIMO FESTIVAL (14 edições)

· 1,5 milhão de espectadores

· 45 edições (até 2017)

· 11 cidades (Brasil e exterior)

· 436 concertos apresentados com entrada franca

· 3.343 músicos participantes

· 287 filmes exibidos gratuitamente

· 22 mil alunos beneficiados na Etapa Educativa

PROGRAMAÇÃO COMPLETA MIMO PARATY 2018

CONCERTOS

28 SET SEX

DJ SET – MONTANO BRASIL

21H30 • PALCO PRAÇA DA MATRIZ

SYSTEMA SOLAR COLÔMBIA

22H30 • PALCO PRAÇA DA MATRIZ

CORDEL DO FOGO ENCANTADO BRASIL

00H30 • PALCO PRAÇA DA MATRIZ

29 SET SÁB

PIQUENIQUE MUSICAL COM GRUPOS TRADICIONAIS DE PARATY

16H • LARGO DE Nª Sª DAS DORES (CAPELINHA)

VIRGÍNIA RODRIGUES BRASIL

20H • IGREJA MATRIZ DE Nª Sª DOS REMÉDIOS

DJ SET – MONTANO BRASIL

21H30 • PALCO PRAÇA DA MATRIZ

LETRUX BRASIL

22H30 • PALCO PRAÇA DA MATRIZ

SONGHOY BLUES MALI

00H30 • PALCO PRAÇA DA MATRIZ

FESTA MIMO 15 ANOS – COM DJS CONVIDADOS

01H30 • PRAIA DO PONTAL

30 SET DOM

ARTISTA PRÊMIO MIMO INSTRUMENTAL BRASIL

11H • IGREJA MATRIZ DE Nª Sª DOS REMÉDIOS

FESTIVAL MIMO DE CINEMA

LOCAL: CINEMA DA PRAÇA

28 SET SEX

18H

6 POR 20 (curta-metragem)

DANIEL TUMATI, MARINA GERASSO, MARIA FERNANDA GENUNCIO, VITOR RODRIGUES E LUNA GÁMEZ.

DOC | 11’ | 2017 | RJ | 10 ANOS

ULTRAJE (longa-metragem)

MARC DOURDIN. DOC | 92’ | 2017 | SP | 12 ANOS

20H

É POR ISSO QUE ESTOU AQUI (curta-metragem)

JOÃO FRANÇA. DOC | 22’ | 2018 | SP | LIVRE

SEMENTE DA MÚSICA BRASILEIRA (longa-metragem)

PATRÍCIA TERRA. DOC | 94’ | 2018 | RJ | LIVRE

29 SET SÁB/SAT

16H

OS UNDER UNDERGROUNDS, O COMEÇO (longa-metragem)

NELSON BOTTER JR. ANI | 106’ | 2018 | SP | LIVRE

18H

TETÊ (curta-metragem)

CLARA LAZARIM. DOC | 25’ | 2018 | SP | 10 ANOS

INAUDITO (longa-metragem)

GREGÓRIO GANANIAN. DOC | 88’ | 2017 | SP | LIVRE

20H

TRAVESSIA (curta-metragem)

THIAGO ANTUNES. DOC | 13’ | 2017 | RJ | LIVRE

LEGALIZE JÁ – AMIZADE NUNCA MORRE (longa-metragem)

JOHNNY ARAÚJO E GUSTAVO BONAFÉ. FIC | 95’ | 2017 | SP | 16 ANOS

FÓRUM DE IDEIAS

CINEMA DA PRAÇA

28 SET SEX

16H

O CANTO COMO FORÇA NO PROTAGONISMO FEMININO NEGRO

POR VIRGÍNIA RODRIGUES BRASIL

29 SET SÁB

11H

A CULTURA SOUND SYSTEM DA COLÔMBIA: ARTE, TECNOLOGIA E LIBERDADE

POR SYSTEMA SOLAR COLÔMBIA

PROGRAMA EDUCATIVO

CINEMA DA PRAÇA

28 SET SEX

10H

WORKSHOP VÍDEO CENÁRIO

POR VJ MONTANO BRASIL

CHUVA DE POESIA

29 SET SÁB

12H

HILDA HILST – AFLIÇÃO DE SER EU E NÃO SER OUTRA

IGREJA MATRIZ DE Nª Sª DOS REMÉDIOS

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos