(Foto: Leopoldo Castro)

Com a questão indígena novamente em pauta em nosso país, devido ao desejo do governo em passar a demarcação de terras indígenas para o Ministério da Agricultura, Ney Matogrosso se juntou ao rapper alagoano Vitor Pirralho para tratar do tema na música e clipe Rumos e Rumores.

A canção é o 1º single do novo disco de Vitor Pirrallho, A invenção é A Mãe das Necessidades, a ser lançado em fevereiro, e assim como em seu disco anterior, Pau-Brasil, de 2009, continua abordando a questão indígena. “Essa é uma discussão perene no Brasil e na América Latina como um todo. Eu tenho muito interesse pela causa, que nos remete direto à situação de país colonizado. É uma questão identitária mesmo”, diz o rapper

O clipe coloca a narrativa em imagens e traz a fusão do passado com o futuro. Nele, Ney Matogrosso faz o papel de um pajé que recebe informações do futuro e vê que há muita luta para o povo indígena nos próximos anos. O mensageiro do futuro que coloca em uma garrafa um pen drive com todas essas informações também é visto como um subversivo e sofre as consequências de seu ato quando descoberto.

Rumos e Rumores também aborda assuntos quentes do momento atual do nosso país. Nas imagens, podem ser encontradas tags que dominaram e dominam o grito de justiça, como Marielle Vive, Onde está Amarildo?, Ele Não, Não é pelos 20 centavos, entre outras.

Sobre a parceria com Ney Matogrosso, Vitor conta que tudo aconteceu de maneira bem natural e sem querer após o cantor se apresentar em Maceió. Ney viu num jornal uma entrevista com o rapper, onde explicava todo o conceito de seu álbum anterior e perguntou a produtora sobre o artista, que marcou um encontro entre os dois.

Logo virou amizade e Ney escolheu a música Tupi Fusão, que está no disco Pau-Brasil para fazer uma versão em seu disco Atento aos Sinais (2013). Depois, veio o convite para participar da canção e do videoclipe de Rumos e Rumores.

“Esse disco é oswaldiano. O próprio Ney disse que o que chamou a atenção dele ao ler aquela matéria foi exatamente o eu-lírico de minhas composições ser o índio, pois ele nunca tinha visto ninguém colocar no Rap o índio como a voz ativa, como o narrador lírico. Portanto, essa não é uma questão importante para mim, é de suma importância para a nação”, conta Pirralho.

Confira Rumos e Rumores:

O clipe tem direção e direção de fotografia de Henrique Oliveira (Panan Filmes), roteiro assinado por Henrique, Vitor Pirralho e Raphael Barbosa e conta com os dançarinos Leide Serafim Olodum, Tamylka Viana, Tiago Sutério, Leonardo Doullennerr, José Marcos (Topete).

Fechar X