Como já dizia o AC/DC: “Rock and roll não é poluição sonora, rock and roll nunca morrerá”. E para comemorar o Dia do Rock,  celebrado neste sábado (13), o Virgula Música foi buscar três “professores” com alta quilometragem de palco para dividir sua sabedoria com aqueles que desejam um dia ser como eles, em uma pegada Escola do Rock.   

Bianca Jhordão, do Leela, e Paulo Ricardo falaram sobre sua experiência e deram dicas preciosas. Já Lobão, como um bom roqueiro rebelde, não deixou a marra de lado: “Não me sinto gabaritado pra dicas a ninguém”. Ele ainda destoou dos seus colegas, não quis indicar discos ou falar sobre o legado do gênero e se mostrou pessimista quanto ao futuro do rock. “Não tenho bola de cristal. Mas, por aqui, se não temos um presente, como vamos pensar num futuro?”, provocou o lobo mau.

On The Road, Leela

Também ícone do rock dos anos 80, com o RPM, Paulo Ricardo apontou a liberdade como o maior legado deixado pelos roqueiros do passado. “Liberdade. Racial, sexual, espiritual, política, de costumes”, afirmou. Já Bianca, expoente do rock atual e um modelo para muitas meninas que gostam e se dedicam à música, o papel do gênero de Little Richard, Chuck Berry, Elvis Presley, Bill Haley foi o de introduzir os jovens na jogada. “O rock quebrou barreiras, preconceitos e fez abrir novos caminhos para o jovem. O rock transformou a sociedade, o comportamento, revolucionou os costumes. Realmente mudou o mundo. A música, antes do rock, era muito certinha e careta, refletia toda a rigidez da sociedade. As guitarras elétricas, o “do-it-yourself” e a energia jovem trouxeram uma liberdade para as pessoas, que até então não acontecia”, afirmou.

A guitarrista e vocalista, que de quebra ainda toca violão, maracas, theremin, centralizou suas dicas em aspectos práticos. “A principal dica é divirta-se. Não adianta formar uma banda pensando em fazer sucesso.  O sucesso vem como consequência.  Então tem que fazer música que divirta e agrade a si próprio. Se você quer ser realmente bom, pratique muito sua música e busque fazer muitos shows, tocar onde tiver oportunidade. Isso é o que faz evoluir. Pra quem está pensando em montar uma banda, prefira encontrar parceiros que estejam também começando, assim vocês vão aprendendo juntos e crescendo como um grupo. Tocar rock é muito bom!”, opinou.

Por um Fio/ Hey Babe, Leela

Já o cantor de Olhar 43, deu a letra sobre não medir esforços e defendeu as composições em português. “Estudar, praticar, tocar na noite, vivenciar os prós e contras, e estar sempre informado. Mas sobretudo, compor em português. Letras em inglês são propriedade dos anglo-saxões. A menos que você se mude pra lá, é claro”, brinca. “O rock é como a própria vida, se renova a cada geração, reciclando seu DNA”, fala o “professor” sobre o futuro.

Bianca também recusou o “no future” no estilo Sex Pistols, de Lobão. “O rock está em constante mutação assim como o ser humano, a sociedade e as artes em geral.  A atitude rock, as guitarras poderosas podem não estar na moda mas talvez seja no underground, nas margens do mercado musical onde o rock é mais criativo e inovador. E assim, em algum momento, surgirão novos sucessos. Posteriormente ocorrerá uma diluição disso, pois um monte de gente seguirá a nova onda somente pelo sucesso e acabará por pasteurizar e acomodar tudo, voltando o verdadeiro e criativo rock para as margens e para o underground de onde uma nova onda criativa surgirá”, profetiza a vocalista do Leela. 

À Bianca, quando questionada se pudesse encontrar a si mesmo, no começo da carreira o que diria, ela falou sobre aspectos psicológicos de se jogar em algo com muita sede. “Seja menos ansiosa, tudo tem seu tempo.  O tempo de maturação é muito importante.  Nem sempre vemos o resultado no dia seguinte, precisamos de prática, perseverança e paciência para que a música fique cada vez mais fluida no dia a dia e nas nossas vidas como músicos”, deu a dica.

Música do Dia, Leela

Paulo Ricardo, que viveu na pele a montanha russa entre sucesso e ostracismo, se pudesse encontrar o jovem Paulo Ricardo, baixista e vocalista do RPM e sex symbol, levaria a conversa para o campo da consultoria financeira. “Muita atenção ao seu dinheiro!”, diria. 

Para a cantora, alguns aspectos são fundamentais para um bom rock. “A letra tem que passar uma mensagem que emocione as pessoas e a música, junto com a letra, tem que envolver o ouvinte, seja através de um riff cru e simples ou de uma levada de som que vá evoluindo e conquistando. Pode ser direto como uma canção de Elvis ou Nirvana. Ou através de viagens e conceitos sonoros como Pink Floyd e Radiohead”.

RPM, Primavera Tropical

Sobre o que faz uma banda se destacar das outras, ela voltou a ressaltar a importância de experimentar a vida real. “Uma banda precisa encarar o mundo e cair na estrada, fazer shows, gravar videoclipes, trocar ideias com outras bandas, angariar fãs que curtam e ajudem a divulgar e compartilhar suas músicas”, ensina a “professora”, que destacar a importância de cuidar dos aspectos técnicos e até mesmo de fazer circular a informação. “Compor boas canções. E, por mais limitada que a banda seja tecnicamente, tem que ser bem feito, tocado e gravado dentro dessas limitações. Divulgação também conta muito. Antes, era necessário ter uma gravadora para lançar sua música. Hoje em dia, essa distribuição e divulgação da música podem ser feitas utilizando a internet”, diz Bianca.

Os dez mandamentos da Escola do Rock do Virgula

1. Divirta-se (Bianca)

2. Pratique muito sua música e busque fazer muitos shows (Bianca)

3. Encontre parceiros que estejam também começando (Bianca)

4. A letra tem que passar uma mensagem que emocione as pessoas e a música, junto com a letra, tem que envolver o ouvinte (Bianca)

5. Distribuição e divulgação da música podem ser feitas utilizando a internet. No entanto, uma banda precisa encarar o mundo e cair na estrada (Bianca)

6. Não se preocupe em fazer um bom rock (Lobão)

7. Seja excelente (Lobão)

8. Estude, pratique, toque na noite, vivencie os prós e contras, e esteja sempre informado (Paulo Ricardo)

9. Componha em português (Paulo Ricardo)

10. Preocupe-se com música, letra, ritmo, atitude e performance (Paulo Ricardo)

Discos indicados por Bianca

The Beatles – Revolver

Jimi Hendrix – Are You Experienced?

The Stooges – The Stooges

Nirvana – Nevermind

Weezer – Pinkerton

Pixies – Bossanova

PJ Harvey – Stories from the city, Stories from the sea

Breeders – Last Splash

Sonic Youth – Dirty

Radiohead – OK Computer

Yeah Yeah Yeahs – Show Your Bones

Discos indicados por Paulo Ricardo

Os clássicos. Beatles, Stones, Led Zeppelin, Pink Floyd etc.

Fechar X
Sem mais artigos