O ex-líder da finada banda Alice in Chains, o grupo de rock cujas letras mórbidas sobre a morte vendeu milhões de álbuns durante a revolução “grunge” da década de 1990, morreu possivelmente por overdose, disse um porta-voz da polícia.

O corpo de Layne Staley, 34, foi descoberto em seu apartamento na sexta-feira, depois que a polícia atendeu um chamado de um amigo que ficou preocupado por não vê-lo por várias semanas, disse o porta-voz do departamento de polícia, Duane Fish, à Reuters. Ele não quis identificar o amigo do vocalista.

Dentro do apartamento, Staley foi encontrado deitado em um sofá com óbvios sinais de ter morrido por overdose ou morte natural, disse Fish. Vários instrumentos usados para se preparar drogas foram encontrados no local. Não se sabe quando Staley morreu. Como ninguém deve dar queixa, não haverá investigação pela polícia, disse Fish.

O instituto médico legal local não soube determinar ainda a causa da morte. Staley, entretanto, já foi usuário de heroína durante sua carreira. A banda se separou temporariamente em 1994, frustada pela incapacidade de seu líder ficar longe das drogas. Dois anos depois o Alice in Chains acabou definitivamente após uma série de shows durante uma turnê do Kiss.

Staley tornou-se o segundo vocalista de uma banda de sucesso com histórico de vício em drogas a ser encontrado morto em sua casa na região. Em 1994, o corpo do líder e guitarrista Kurt Cobain foi encontrado em sua casa em Seattle, vários dias depois de ter disparado uma escopeta contra sua cabeça.

Fechar X
Sem mais artigos