O policial de Beverly Hills que prendeu o popstar britânico George Michael por conduta indecente num banheiro de um parque em 1998 foi autorizado na terça-feira a abrir processo contra o cantor, pedindo 10 milhões de dólares por indenização por difamação.

A primeira tentativa feita pelo policial Marcelo Rodriguez de processar o artista, afirmando que Michael zombou dele num videoclipe de sua canção “Outside”, foi arquivada pelos tribunais de Los Angeles dois anos atrás, sob a alegação de que figuras públicas como policiais não têm direito de processar pessoas.

Mas um tribunal de apelações decidiu na terça-feira que o processo pode seguir adiante porque, após sua prisão, George Michael fez declarações a respeito de Rodriguez em que o acusava “de atos específicos e objetivamente verificáveis”.

Em entrevistas concedidas depois de ser detido, Michael, que revelou sua homossexualidade publicamente após o incidente ocorrido em abril de 1998, acusou o policial à paisana de atraí-lo para uma situação e zombou da prisão.

Acusado de cometer um ato indecente, ele não contestou a acusação. Foi multado em 810 dólares e condenado a prestar serviços comunitários.

Marcelo Rodriguez está pedindo 10 milhões de dólares de indenização por humilhação, sofrimento emocional e físico e tratamento médico.

Fechar X
Sem mais artigos