As pré-estréias da primeira peça londrina em que Madonna vai atuar foram adiadas por três dias em função de dificuldades técnicas, anunciaram os produtores na segunda-feira.

No mês passado, a bilheteria do teatro foi praticamente invadida por fãs a procura de ingressos, quando anunciaram que a diva pop iria estrelar a montagem de “Up for Grabs”, grande sucesso do dramaturgo australiano David Williamson, sobre uma ambiciosa marchand de obras de arte.

Apesar do atraso, a data da estréia oficial foi mantida para 23 de maio, disse uma porta-voz dos produtores da peça.

“Todos os membros do elenco foram muito compreensivos e prestativos”, disse a porta-voz. “A produção se transformou numa sincronia complexa entre palco móvel, som, música e projeção, e a realização de tudo isso num teatro em estilo mais antigo aumentou o prazo técnico necessário.”

A fase que antecede a aguardada aparição de Madonna vem motivando uma enxurrada de especulações nos tablóides em torno da estrela.

Comentou-se que ela teria exigido um palco elevado para impedir uma possível invasão de fãs. Outros boatos foram de que os funcionários do teatro teriam sido instruídos a não olhá-la nos olhos e que os membros do elenco não poderiam chamá-la pelo apelido de “Madge”.

Mas a porta-voz da cantora qualificou essas histórias como “besteirol puro”, e os produtores disseram que Madonna vem sendo “totalmente encantadora nos ensaios”.

“Todo o mundo está muito à vontade, e ela está dando um duro, como outra pessoa qualquer”, declarou um membro da equipe.

A última vez em que a diva atuou no teatro foi em 1988, na Broadway, quando representou uma secretária na peça “Speed the Plow”, uma sátira a Hollywood escrita pelo grande dramaturgo americano David Mamet.

Fechar X
Sem mais artigos