A ser coroada como a ‘Artista da Década’ pelo American Music Awards (AMA’s), Taylor Swift afirmou nesta quinta-feira (14) que está sendo proibida por Scooter Braun e Scott Borchetta de performar suas antigas músicas.

Em um longo texto publicado em seus Stories, a cantora contou que estava preparando um medley para a premiação, mas foi informada que a dupla, atualmente a dona de seu acervo musical, não liberou o uso de suas músicas para transmissão de televisão. Segundo o desabafo, ela só poderá voltar a performá-las quando regravar as canções, algo que acontecerá apenas no ano que vem.

“Essa não é maneira que planejei contar essa notícia, [mas] a Netflix fez um documentário sobre minha vida nos últimos anos. Scott e Scooter negaram o uso das minhas músicas antigas ou vídeos de minhas performances para este projeto, mesmo que não haja nenhuma menção sobre eles ou a Big Machine Records (ex-gravadora de Taylor) em momento algum do filme”, revelou.

A cantora informou aos fãs que a dupla apenas a deixaria utilizar suas próprias canções se: “concordasse em regravar uma cópia das minhas músicas ano que vem (algo que legalmente posso fazer e estou ansiosa para isso) e eles também disseram à minha equipe que eu precisava parar de falar dele e Scooter Braun”.

No entanto, Taylor defende que compartilhar sua história é ajudar novos artistas a não passarem pelo mesmo desgastante processo que ela. “A mensagem é bem clara. Basicamente, seja uma boa garota e cale a boca. Ou vai ser punida”.

“Isso é errado. Nenhum deles participou da composição dessas músicas. Eles não fizeram nada para criar a relação que tenho com meus fãs. Então é aqui que peço a ajuda de vocês. Por favor, mostrem ao Scott Borchetta e Scooter Braun como vocês se sentem sobre isso”.

Taylor solicitou aos seguidores que peçam ajuda a outros ídolos para que fortaleçam esta ‘campanha’. “Espero que talvez eles [artistas] possam colocar algum bom senso na cabeça desses homens que estão exercendo um poder tirano sobre alguém que só quer tocar as músicas que escreveu”.

Segundo a artista, ela tentou resolver a questão em particular, mas não houve acordo. “Atualmente, minha apresentação no AMA’s, meu documentário na Netflix e outros eventos que estou planejando até Novembro de 2020 são uma grande dúvida”, desabafou. “Amo vocês e achei que deveriam saber o que está rolando”, finalizou.

Taylor Swift escreveu uma carta de desabafo aos fãs em Junho, após saber que sua antiga gravadora, Big Machine Records, havia sido adquirida pela Ithaca Holdings, do gerente musical Scooter Braun, quem a artista acusa de ter orquestrado um cyber bullying contra ela. Ao trocar de companhia, ela precisou abrir mão de seu acervo musical a fim de não ter que atrelar seu futuro a um comprador que, na época, ela ainda não sabia quem seria. “Nunca, em meus piores pesadelos, eu imaginei que o comprador seria Scooter”, escreveu na época.

Fechar X
Sem mais artigos