Raffa Moreira

Divulgação Raffa Moreira

Raffa Moreira, 29 anos , é um astro do trap, variação do rap do sul dos Estados Unidos que vem dominando a estética e as temáticas do hip hop mundial.

Enquanto o trap domina o pop, são caras como Raffa que fazem o gênero arejar e encontrar novas saídas. Caso típico em que a música brasileira se soma à influência estrangeira e transforma o que seria um subproduto em grande arte.

Nesta entrevista exclusiva Raffa revela, por exemplo, ter influência de samba, coisa que gringo nenhum nunca vai ter.

Dono de uma estileira de respeito, ele também tem uma marca de roupa, a FERNVNDX Clothing.

Leia nossa conversa com o Monstrão, que se apresenta dia 20 de janeiro em São Paulo, em show que promete ser histórico no Anhangabaú, Festival Manifeste SP e um dia depois abalar as placas tectônicas de Guarulhos no Festival Manifeste GRU.

Como é ver o negro ser cool e fashion de um lado e de outro sofrer imensamente com racismo e violência, como provam as estatísticas?
Raffa Moreira – É foda, mas é um pouco bom. Tipo um playboy nunca vai poder ter swag. Embora eu busque um swag playboy. Ele pode ter referências etc mas a coisa sempre vem de quem tá sendo oprimido. Um bom músico, designer, tudo vem do ghetto. É que o Brasil foi um país criado na cultura da corrupção né, desde os índios… Então pessoas roubam né. Mas a gente sabe da onde vem o que é bom. Sei lá, bro, eu só quero ter muitas roupas e ser foda (risos). Zoeira, mas é verdade.

Crê que exista algo na sua música que seja específico do seu lugar de origem?
Raffa – Sim, sim. O jeito que eu canto lembra o jeito que o meu pai cantava samba. Meu primo canta rap também tem umas coisas bem parecidas ali das nossas vozes..

E tudo isso remete a Guarulhos, né… A um pouco da zona norte e leste de SP também e do Centro. Os lugares que meu pai cantava que eu ia com ele como algumas escolas de samba quando eu era pequeno… essa fita da música já vir na minha família é um pouco geográfica também.

Com quantos anos você está? Se sente parte de alguma cena? Que características crê que defina a sua geração?
Raffa – 29 Anos. TrapStar, pertenço à cena trap. E, pô, acho que eu sou o avesso da minha geração. Ou na verdade e sou ela potencializada (risos).

Só sei que eu amo trap, maconha e fast food. Na verdade, mesmo eu tenho certeza que eu sou do futuro. Porque eu me ligo em coisas como tipo “salvação” assim… humanos se tornando robôs, cura de doenças, ah, meu deus, eu sou muito louco. Mas, pô, eu sou normal também sabe. Trabalho, pago umas contas, saio com meus filhos, com minha mina, que agora é minha mulher. Então talvez e seja normal.

Quais são suas maiores influências musicais?
Raffa – underOATH e umas bandas emo…

Fechar X