O sorriso de uma vencedora.

Laura Worsley sofreu onze abortos espontâneos no primeiro trimestre de gravidez, e outros dois no segundo. Ela e o marido sabiam que havia algo errado a partir do terceiro aborto, mas foi quando decidiram que tentariam uma última vez que conseguiram o seu maior presente: Ivy, uma bebezinha.

A mãe sofria de duas condições que dificultavam o processo de gravidez: Síndrome dos anticorpos anti-fosfolipídicos e Intervilosite histiocítica crônica. Uma, causa a produção de anticorpos que aumentam coagulação excessivamente, e a outra, faz com que o corpo lute contra a gravidez.

Com a ajuda da Professora Siobhan Quenby e seu time, Laura e o marido, Dave, resolveram dar uma última chance à gravidez.

Após usar medicações para ajudar o revestimento do útero, o casal conseguiu conceber naturalmente. Adicionalmente, Siobhan usou esteróides para impedir que o sistema imunológico de Laura lutasse contra a gravidez, além de usar remédios para equilibrar a coagulação sanguínea.

A gestação foi um segredo mantido pelo casal, que temia que tudo desse errado de novo. Após 30 semanas, a bolsa de Laura estourou quando ela estava a casa. Ela teve uma cesariana, e tomou anestesia geral durante o procedimento. Ivy pesava apenas cerca de 3 quilos ao nascer, e teve de ficar três dias na UTI antes de poder ficar com os pais.

Ela correu risco de adquirir sepse, e teve de se recuperar de uma bronquiolite no seu tempo no hospital, que durou quase 4 meses. Hoje, Ivy já tem nove meses, já foi batizada, e está inspirando mulheres ao redor do mundo a não desistirem do sonho de engravidarem, mesmo com complicações de saúde. “Eu lia sobre os milagres de outros, e hoje, eu tenho o meu”, disse Laura.

Veja as fotos da trajetória do casal:

Fechar X

 

Fechar X
Sem mais artigos