“Comecei a me preocupar com meu peso aos 4 anos de idade”. É assim que Megan Crabbe, de 24 anos, começa a falar ao site The Sun sobre sua batalha contra a anorexia e como, hoje, se tornou uma porta-voz de aceitação ao corpo seguida por mais de um milhão de pessoas no Instagram.

Ela continua: “aos cinco, tinha na cabeça que ser gorda era o que pior podia me acontecer. Não me levou muito tempo para achar que ser uma garota era se preocupar com dietas, monitorar a aparência e ser atraente. Aos 10 anos, eu vivia de dieta e minhas porções ficavam menores a cada dia”.

Megan disse que foi diagnosticada com anorexia aos 14 anos, mas só entendeu a gravidade da situação um tempo depois quando foi hospitalizada pela primeira vez. “Eu fiquei confusa no início porque, na minha cabeça, eu fazia o que devia fazer: dieta”.

A adolescente passou 10 meses internada em alas psiquiátricas de hospitais. Depois disso, ganhou peso rapidamente e os médicos a liberaram do tratamento. No entanto, por anos, ela viveu um ciclo constante de perda e ganho de peso com remédios, dietas irregulares e malhação extrema.

Segundo Megan, foi depois de adulta ao ver a foto de uma mulher acima do peso confiante usando um biquíni que começou a entender a situação. “No começo, era assustador porque tudo que eu achava importante e lutava para ter, na verdade, não importava”.

“Conheci outras meninas com os mesmos problemas que eu e nos juntamos. Aprendi a amar meu corpo e uso meu perfil para ajudar outras pessoas”, disse.

Fechar X
Fechar X