A estudante norte-americana Erin Smith, de 19 anos, chamou a atenção de cientistas do mundo inteiro ao criar um teste que detecta pessoas que possuem mal de Parkinson 10 anos mais cedo que o usual, usando técnicas de reconhecimento facial.

A ideia surgiu quando a jovem tinha ainda 15 anos, após assistir a filmes da franquia ‘De Volta Para o Futuro’. Erin notou ainda no primeiro filme, de 1986, que o ator Michael J. Fox já tinha alguns sintomas de mal de Parkinson, mesmo que a doença só tenha sido identificada em 1991.

Em entrevista ao tabloide Daily Mail, ela afirmou que o rosto do ator, que interpretou Marty McFly na franquia, tinha expressões que careciam de emoções, como estar com o lábio caído e a sobrancelha levantada.

“Eu sempre fui uma grande fã de ‘De Volta Para O Futuro’. Depois de ter a ideia inicial, consegui ver as imagens antigas para ver quando aconteceram as diferenças faciais de Michael. E enquanto eu procurava artigos médicos anteriores, descobri que as partes do cérebro que sofrem as primeiras mudanças no Parkinson são as mesmas partes envolvidas na formação da expressão facial”, revelou.

Ainda na adolescência, ela criou um protótipo de reconhecimento facial com base em imagens de vídeo. O projeto chamou tanta atenção que a Fundação Michael J. Fox financiou os primeiros estudos de Erin, e concluiu que o programa dela tinha 88% de precisão ao diferenciar portadores de Parkinson de pessoas saudáveis.

Para melhorar a sua criação, a jovem de 19 anos está à procura de novas pessoas que possam ajudá-la a desenvolver melhor seu programa. Smith, que é natural do Kansas, já possui apoio da Universidade de Stanford, na Califórnia, que deu a ela uma bolsa para estudos em ciência da computação e neurociência.

Fechar X
Fechar X