A brasileira Priscila Bomfim teve sua primeira filha, Chloe, em endereço inesperado: um motel. A paulistana foi ao hospital com dores em uma tarde de setembro, mas como ainda não tinha dilatação suficiente foi enviada de volta para casa.

O problema é que no trânsito caótico de São Paulo em dia de chuva, ela e o marido estavam presos no tráfego das 17h. Para evitar o estresse, a doula do casal sugeriu que eles parassem em um hotel da região. O local mais perto, no entanto, era um motel.

Eles pediram um quarto com banheira e explicaram na recepção que Priscila estava na reta final da gravidez e precisava descansar. Com o tempo, as contrações começaram a ficar mais fortes e, durante a madrugada, ela e o marido pensaram em voltar ao hospital, mas decidiram esperar.

Na manhã do dia seguinte, a bolsa estourou e Chloe nasceu ali mesmo. “Era impossível chegar ao hospital, vai nascer”, disse Priscila.

Por chamada de vídeo, o casal recebeu instruções para o parto. No fim, tiveram que desembolsar R$1.082 na conta do motel, valor quatro vezes maior, devido à multa pelo número de pessoas no quarto que se encaixa em uma “orgia” e também por causa da limpeza especial.

Fechar X
Sem mais artigos