Não é difícil encontrar mulheres com relatos de assédio e interações indesejadas em transportes públicos – uma nova pesquisa indica que 97% das mulheres já sofre tipo de assédio em meios de transporte, desde olhares insistentes até contato físico inapropriado, como encoxadas e agarradas.

Por isso, também tem se tornado cada vez mais comum casos em que mulheres desconhecidas se ajudam ao perceberem que algo está errado. Thaíza Paula teve a sorte de ter uma amiga inesperada nessa quinta-feira, dia 13, quando se sentiu observada intensamente por um desconhecido.

“A vontade de levantar e sair de perto, era grande”, Thaíza contou ao postar sobre o ocorrido. “Mas o medo do próprio tentar fazer alguma coisa pra impedir, era maior ainda! O homem além de não parar de me olhar, ficava o tempo todo olhando para trás e para os lados do ônibus”.

Foi então que Camila, que estava atrás de Thaíza, a cutucou e deu um bilhete, disfarçadamente. No bilhete, ela se apresentou e disse por Thaíza poderia fingir que a conhecia para sair de perto do homem suspeito. O relato todo, com fotos, pode ser lido aqui:

Numa época em que está cada vez mais difícil dizer de onde vem o perigo, é bom saber que a ajuda também pode vir da mesma forma. E quanto mais mulheres se ajudam, menos coragem os outros terão de mexer com outras!

Veja aqui algumas páginas no instagram que inspiram mulheres a se cuidarem, e a cuidarem umas das outras:

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos