Acorda cedo para trabalhar, levanta, pega trânsito, passa o dia fora de casa, volta e ainda tem o jantar e, claro, uma atualização diária sobre o que está rolando nas redes sociais. Já tarde da noite, liga a TV para relaxar e dormir. A maratona diária é vivida por cada vez mais pessoas e é um dos fatores que atrapalham a qualidade do sono. Insônia, privação de sono, ronco e apneia estão entre os principais problemas atuais, segundo o neurologista e presidente da Associação Brasileira do Sono, Luciano Ribeiro.

 

Mas os problemas não são os únicos e outros menos comuns também afetam a população, alguns até que despertam curiosidade, como o sonambulismo e a síndrome das pernas inquietas. Os resultados vão além das olheiras e aparência de cansaço, mas “dormir mal”, de acordo com o especialista, aumenta o risco de obesidade, hipertensão, diabetes, comprometimento do sistema imunológico e até problemas cardíacos.

“Existem funções do organismo que só acontecem durante o sono. São regulações físicas e mentais muito importantes”, afirmou Ribeiro. O hormônio do crescimento e a regulação da memória estão entre as funções importantes quando o indivíduo está dormindo. Não existe um período ideal que se aplique a todas as pessoas, a quantidade de horas varia de acordo com a necessidade e estilo de vida das pessoas, afirmou o neurologista do Hospital Santa Paula, Alexandre Bossoni.

Confira na galeria de fotos doenças do sono e como tratá-las.

 

Fechar X
Sem mais artigos