Caso já tenha passado pela sua mente matar o chefe, ou aquele (a) ex, não se preocupe: é algo completamente normal e não é totalmente negativo, de acordo com uma psicóloga e pesquisadora da University College London.

Durante o evento Cheltenham Science Festival, no Reino Unido, a doutora Julia Shaw explicou que fantasiar sobre matar o próprio chefe, na verdade, estimula o funcionário a ter uma empatia em relação a ele.

“Os alvos mais comuns são chefes e ex-parceiros, mas a lista é vasta. Ainda assim, a maioria das pessoas não comete e nunca cometerá esse crime”, afirmou de acordo com informações do The Independent. A especialista descreve esse tipo de pensamento como um exercício de empatia.

“Você pensa em como seria e nas consequências. Imagina como seria, na realidade, cometer esse crime e adivinhe só qual é a escolha que a maioria das pessoas faz?” ela provoca. “‘Eu não quero fazer isso porque essas não são as consequências que eu realmente quero’.”

Shaw acredita que quanto mais tempo se passa analisando situações e ponderando, melhor preparado você estará para realizar escolhas críticas.

“Fantasias e exercícios de empatia são essenciais para aprendermos a tomarmos boas decisões, particularmente em situações que você não tem muito tempo.”

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos