Ter aquele sorriso branco tipo ator de cinema é desejo de quase todo mundo. Especialmente, no Brasil. Para quem não sabe, somos o País com o maior número de dentistas do mundo e também estamos na liderança dos que mais gastam com estética bucal.

Talvez por isso cada dia mais encontramos em supermercados e farmácias várias opções de pastas de dentes e enxaguantes que prometem clarear o sorriso. E eles dão resultado? Na verdade, a maioria ajuda a manter o dente branco depois que já foi feito um tratamento sério de clareamento.

Sorriso branco

Então, como fazer um clareamento dental que realmente funcione? Abaixo, listamos mitos e verdades sobre o assunto.

1) Como é feito o tratamento?
O clareamento abre os túbulos dentinários que ficam na parte interna do dente e ali vão agir os dois tipos de produtos usados para isso. 

“Temos dois tipos de clareadores: a base de peróxido de carbamida e peróxido de hidrogênio, ambos com concentrações diferentes que devem ser escolhidas junto com o profissional”, explica a Dra. Renata Schwertner, especialista em odontologia estética das clínicas Ortoplan – Especialidades Odontológicas.

A aplicação pode ser feita no consultório ou em casa. Quando o dentista assume, ele trabalha com concentrações bem mais altas de produtos e pode ainda usar laser para ativar os cristais do gel e acelerar os resultados. Em casa, são usadas as moldeiras e o tratamento leva mais tempo. Vale lembrar que o gel só é vendido com receita médica.

2) Todo mundo pode fazer?
O clareamento está liberado para pacientes com mais de 16 anos, porque menos que essa idade a sensibilidade é ainda maior. Mas, claro, existem algumas contraindicações, como: gestantes, fumantes, pacientes periodontais e com sensibilidade dentária. Também é bom evitar quando estiver com baixa imunidade, gripe e fazendo dietas que enfraquecem muito o organismo. O Dr. Celso Minomi, do GOU Franquias, alerta que pessoas alérgicas a água oxigenada e que tomam remédio a base de sulfato ferroso e minociclina também não são aconselhadas.

3) Tem algum momento certo para o tratamento?
O clareamento pode ser feito depois que todas as questões com o dentista tiverem em dia, como cáries e gengivites, por exemplo.

“O tratamento é realizado antes de serem feitas as restaurações definitivas, sejam elas resinas ou porcelanas. E as pessoas que possuem muitas restaurações e coroas devem ser alertadas que as mesmas não sofrem efeito clareador e devem ser trocados no final do projeto”, diz a Dra. Roberta Cardoso, da clínica Lumina Smile, do Rio de Janeiro.

Moldeira é usada nos tratamentos caseiros

Reprodução Moldeira é usada nos tratamentos caseiros

 4) Vai doer?
 Provavelmente sim. Doer não é uma regra, mas os produtos aumentam a  sensibilidade dos dentes. Mas calma, porque o desconforto diminui  progressivamente no fim do tratamento.

“Cada organismo reage de uma forma, mas alguns fatores aumentam a  sensibilidade, como retrações gengivais (dentina exposta), por exemplo”, explica a  Dra. Renata.

 5) Tem que refazer depois de quanto tempo?
Todo mundo sabe que os dentes amarelam ao longo da vida, mas não há um tempo  definido para refazer o clareamento. Depende do estilo de vida do paciente e da  necessidade.

 6) É proibido tomar café e vinho durante o tratamento?
O Dr. Celso explica que alimentos com pigmentações fortes podem sim  atrapalhar o resultado e manchar os dentes. Então a sugestão é usar um canudo, artigo que apenas reduz os riscos, quando for consumir ou evitar por um tempo. Chá, açaí, beterraba também não devem entrar no cardápio.

 7) Açúcar ou bebida alcoólica atrapalham o resultado?
“Durante o processo do clareamento o esmalte dentário fica mais poroso, o açúcar  pode acarretar em aumento de cáries e a maioria das bebidas alcoólicas são  extremamente ácidas provocando sensibilidade e comprometendo o resultado f  final”, explica a Dra. Renata.

8) É verdade que alguns alimentos, como a cenoura, ajudam a clarear os  dentes?
Claro que alimentos não têm poder clareador nem de longe comparado aos  produtos feitos para isso. Mas, alguns estudos mostram que as enzimas e as  vitaminas de certas comidas ajudam sim a manter o esmalte do dente mais saudável  e mais brancos. A cenoura, por exemplo, é rica em vitamina A e tem estes efeitos.  Abacaxi e queijo também entram na lista.

9) Clareamento estraga os dentes?
“A resposta é não! Utilizando a técnica correta e suas indicações, o clareamento é  um método seguro e conservador de tratamento estético. Claro, sempre deve ser acompanhado por um dentista”, explica a Dra. Roberta Cardoso.

10) Quais os valores médios dos clareamentos?
Usando os dois métodos, os valores dos tratamentos começam em R$ 600 e podem chegar a R$ 1.500.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos