Autoridades e médicos de Papua Nova Guiné estão preocupados com uma espécie de epidemia que vem tomando conta dos hospitais locais. Homens do país da Oceania estão fazendo tratamentos para aumentar o tamanhos de seus pênis, e isso está produzindo um número maior de pacientes que acabaram prejudicados com os efeitos colaterais.

Segundo informações do jornal The Guardian, esteticistas e enfermeiros estão injetando substâncias como óleo de coco, óleo de bebê, silicone e até mesmo óleo de cozinha no órgão genital de homens. Nenhum desses produtos é indicado para este tipo de tratamento.

O médico Port Moresby revelou que nos últimos dois anos tratou de pelo menos 500 pacientes com desfiguração e disfunção peniana. “Eu tenho visto cinco novos casos a cada semana nos últimos dois anos e estes são os que se apresentaram para tratamento. Não sabemos quantos deles estão por aí.”

“A maior parte deles tem massas anormais e irregulares crescendo sobre o pênis. Um bom número está chegando com úlceras também”, disse Akule Danlop, outro médico que também está tratando frequentemente homens que injetaram substâncias no pênis.

Os pacientes contaram aos médicos que a injeções são feitas em geral por enfermeiros que querem ganhar um dinheiro extra. Professores da Universidade de Papua Nova Guiné estão pesquisando mais sobre o tema para determinar o que vem causando essa busca por aumento peniano no país de mais de 8 milhões de habitantes.

Fechar X