Começou nesta terça-feira (14), de forma apressada, a 14ª edição do Big Brother Brasil, reality-show da TV Globo. Com formato já desgastado, a atração teve um início esquisito, com menos de uma hora de duração e clima de pressa – o motivo era colocar logo no ar Amores Roubados. A série teve de mudar de horário na grade por conta do reality-show e acabou perdendo parte de sua (impressionante) audiência.

De toda forma, o diretor Boninho e sua equipe terão de esforçar para alcançar o grau de insanidade de A Fazenda, da TV Record, cuja última edição parece ter dirigida com memes de internet em mente. Alguns motivos são óbvios: o time de subcelebridades tem histórias mais interessantes que os anônimos do BBB são capazes de exibir (ou que a imprensa é capaz de descobrir). A Fazenda tirou o foco do “show” competitivo e quer mais saber de “reality”, com direito a barracos, brigas, palavrões e conspirações – quanto mais surreal, melhor.

Até agora, a única semelhança entre os programas da Globo e da Record foi a falta de forma do apresentador Pedro Bial, que por vezes lembrou o anticarisma de Britto Jr. Fora isto, o único momento mais “explosivo” foi o palavrão soltado por uma das sisters durante a prova do líder, um sonoro “p*** que pariu” que nem Bial conseguiu abafar. Prova que, por sinal, não teve muita graça e premiou Amanda como líder de forma aleatória.

O que há de bizarro até agora? Pouca coisa, com exceção dos seios turbinadíssimos de Clara, o cabelo bicolor de Cássio (temos um Yudi da vez?) e só. A julgar pelas conversas desta quarta-feira (15), algumas saídas do armário devem acontecer ao longo do programa (Rodrigo e Roni são os grandes candidatos). Mas nada que se compare à ex-chacrete e atriz pornô Rita Cadillac, a ex-vice Miss Bumbum Andressa Urach e sua cusparadas e todo o show de insanidade, bichos inclusos, da Fazenda.

A jogada mais inteligente do programa ainda não aconteceu: a aparição de Valdirene, personagem da novela Amor à Vida. Ela entrará hoje na casa nesta e ficará por apenas 12 horas, o que é uma pena – a novela de Walcyr Carrasco está em sua reta final. As improvisações da periguete vivida por Tatá Werneck no programa geraram expectativa e são o assunto mais esperado da atração até agora. Além disso, parecem ter contribuído para o aumento da audiência do episódio de estreia: 30 pontos contra 25 na edição passada, o pior da história da Globo.

A pressão sobre Boninho nunca foi tão grande. O manda-chuva da emissora da família Marinho terá de suar a camisa para fixar a atenção da audiência nesta edição do BBB – e o resultado pode ser decisivo no futuro dos reality-shows da Globo. 

Fechar X
Sem mais artigos